Connect with us

Vídeos

13 doenças comuns após a ocorrência de enchentes

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:5 Minuto, 21 Segundo


Alagamentos ocorridos no Rio Grande do Sul podem ter impactos na saúde dos moradores

As enchentes no Rio Grande do Sul podem afetar a saúde dos gaúchos As enchentes no Rio Grande do Sul podem afetar a saúde dos gaúchos Imagem: fizkes | Shutterstock

Desde o início do mês de maio, o estado do Rio Grande do Sul tem sido atingido por fortes chuvas. Os alagamentos atingiram 461 municípios e deixaram mais de 540 mil pessoas desabrigadas. A tragédia climática gerou a maior evacuação de casas no Brasil deste século e, além das consequências imediatas à população gaúcha, deve repercutir também a longo prazo sobre a saúde pública do estado e da região, conforme destaca o Dr. Alexandre Pimenta, responsável técnico pela rede AmorSaúde.

A seguir, o médico lista as principais doenças características deste panorama pós-enchentes, assim como os sintomas dessas patologias, sinais de alerta, exames diagnósticos e o tratamento recomendado. Confira!

1. Diarreias agudas

  • Sinais e sintomas de alerta: diarreia líquida frequentemente acompanhada de cólicas abdominais, febre e mal-estar geral.
  • Recomendações: manter uma hidratação adequada para prevenir a desidratação.
  • Tratamento: reposição de líquidos via oral ou intravenosa, evitar alimentos que possam piorar a diarreia e, em casos graves, uso de medicamentos antidiarreicos sob orientação médica.
  • Exames diagnósticos: exame parasitológico de fezes, ultrassom abdome total, eletrólitos, PCR (Reação em Cadeia da Polimerase), hemograma, sorologia celíaca (transglutaminase IgA tecidual).

2. Febre tifoide

  • Sinais e sintomas de alerta: febre alta, dor de cabeça, dores musculares, diarreia e erupção cutânea rosada.
  • Recomendações: buscar assistência médica ao apresentar sintomas persistentes após enchentes.
  • Tratamento: antibióticos adequados prescritos por um profissional de saúde, repouso e hidratação.
  • Exames diagnósticos: hemograma completo, urocultura, cultura de fezes, ultrassom abdominal.

3. Conjuntivites e infecções oculares

  • Sinais e sintomas de alerta: olhos vermelhos, secreção ocular, coceira e sensibilidade à luz.
  • Recomendações: evitar coçar os olhos e compartilhar objetos de uso pessoal.
  • Tratamento: lavagem ocular com soro fisiológico, uso de colírios prescritos pelo médico e evitar automedicação. Além disso, em alguns casos pode ser necessário antibióticos tópicos, anti-inflamatórios e eventualmente cirurgia.
  • Exames diagnósticos: exame oftalmológico completo.

4. Micoses cutâneas

  • Sinais e sintomas de alerta: manchas avermelhadas ou brancas na pele, coceira intensa e descamação.
  • Recomendações: manter a pele seca e limpa, evitar compartilhar objetos pessoais e procurar ajuda médica se a lesão persistir.
  • Tratamento: antifúngicos tópicos ou orais prescritos por um dermatologista, além de medidas de higiene e cuidado com a pele.
  • Exames diagnósticos: exame direto e cultura de raspado de pele.

5. Ansiedade e estresse pós-traumático

  • Sinais e sintomas de alerta: sentimentos de medo, nervosismo, insônia, flashbacks de eventos traumáticos, entre outros.
  • Recomendações: buscar apoio psicológico em caso de necessidade.
  • Tratamento: terapia psicológica, suporte emocional e, se necessário, prescrição de medicamentos psicotrópicos sob supervisão médica.
  • Exames diagnósticos: Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), Escala de Ansiedade de Hamilton (HAM-A), Escala de Ansiedade de Zung (ZAS) e Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar (HADS). Mapa 24 horas, TSH (hormônio tireoestimulante) e t4 livre.

6. Leptospirose

  • Sinais e sintomas de alerta: febre alta, mialgia, dor abdominal, conjuntivite, erupção cutânea, sintomas respiratórios, meningite e insuficiência renal.
  • Recomendações: se possível, evitar o contato com lama e água de enchentes; em casos de exposição, buscar assistência médica relatando exposição.
  • Tratamento: buscar assistência médica para uso de antibióticos como a doxiciclina e penicilina.
  • Exames diagnósticos: sorologia para detecção de anticorpos, cultura de sangue e urina.
A hidratação é uma forma de tratar a gastroenterite infecciosa Imagem: Pixel-Shot | Shutterstock

7. Gastroenterite infecciosa

  • Sinais e sintomas de alerta: diarreia, náuseas, vômitos, dor abdominal, febre, dor muscular e desidratação.
  • Recomendações: em imunossuprimidos, podem existir complicações mais sérias, como desidratação grave, perda significativa de eletrólitos e infecções secundárias.
  • Tratamento: hidratação oral de água potável, repouso e, em alguns casos, antibióticos específicos.
  • Exames diagnósticos: exames de fezes para detecção de agentes infecciosos.

8. Dengue

  • Sinais e sintomas de alerta: febre alta súbita, dor de cabeça intensa, dores musculares, dor retro-orbitária, fadiga, fraqueza, náuseas, dor abdominal, dor muscular, desidratação, vômitos, sangramentos.
  • Recomendações: é importante estar atento aos sinais de alarme e classificação de risco. Ingesta hídrica recomendada.
  • Tratamento: repouso, hidratação e controle de sintomas.
  • Exames diagnósticos: testes sorológicos para detecção de antígenos e anticorpos.

9. Hepatite A

  • Sinais e sintomas de alerta: fadiga, febre, náuseas, vômitos, dor abdominal, inapetência, icterícia, urina escurecida, coceira de pele, artralgia.
  • Recomendações: calendário vacinal completo, se possível evitar o contato com lama e água de enchentes. Em casos de exposição, buscar assistência médica relatando exposição.
  • Tratamento: cuidados de suporte e repouso, sem terapia antiviral específica.
  • Exames diagnósticos: dosagem de enzimas hepáticas e teste de anticorpos.

10. Tétano

  • Sinais e sintomas de alerta: rigidez muscular, espasmo muscular, sintomas respiratórios, sudorese excessiva, febre, hipertensão arterial e taquicardia.
  • Recomendações: é uma doença grave e potencialmente fatal caso não tratada, e a melhor prevenção é a vacina. Sempre que exposto, busque assistência médica.
  • Tratamento: vacina antitetânica e imunoglobulina antitetânica.
  • Exames diagnósticos: diagnóstico baseado em história clínica e exame físico.

11. Infecções respiratórias agudas

  • Sinais e sintomas de alerta: congestão nasal, coriza, tosse, dor de garganta, febre, cefaleia, calafrios, sudorese, inapetência, mal-estar geral.
  • Recomendações: a higienização correta das mãos é uma medida de suma importância para controle.
  • Tratamento: buscar assistência médica para uso de antibióticos em casos selecionados e terapia de suporte.
  • Exames diagnósticos: exame clínico e exame de secreções respiratórias.

12. Otoinfecções

  • Sinais e sintomas de alerta: otalgia, febre, drenagem de fluidos, dificuldade auditiva, sensação de pressão no ouvido e irritabilidade.
  • Recomendações: se não tratadas, podem causar danos permanentes ao ouvido médio e interno.
  • Tratamento: buscar assistência médica para uso de antibióticos, analgésicos e medidas locais.
  • Exames diagnósticos: exame otoscópico.

13. Dermatites de contato

  • Sinais e sintomas de alerta: coceira, eritema, edema, formação de bolhas, descamação ou crostas, sensação de queimação, dor, pele áspera e lesões cutâneas.
  • Recomendações: a higienização correta das mãos é uma medida de suma importância para controle.
  • Tratamento: evitar o agente causador, corticosteroides tópicos.
  • Exames diagnósticos: diagnóstico baseado em história clínica e exame físico.

Por Milena Almeida





Fonte: Edicase

Vídeos

6 receitas de sopas e caldos fáceis para espantar o frio

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:4 Minuto, 22 Segundo


Caldo de cenoura Caldo de cenoura Imagem: Veronika Idiyat | Shutterstock

As sopas e os caldos são excelentes alternativas para as refeições nos dias frios. Leves e completas, elas podem ser preparadas com diversos ingredientes de forma simples e fácil. Além disso, são saudáveis, nutritivas e ideais para quem deseja se aquecer sem sair da dieta. Pensando nisso, selecionamos 6 receitas de sopas e caldos irresistíveis para você preparar em casa. Confira!

Caldo de cenoura

Ingredientes

  • 2 cenouras descascadas e cortada em rodelas
  • 2 batatas descascadas e cortadas em rodelas
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 3 dentes de alho descascados e amassados
  • 1 cebola descascada e picada
  • 1 1/5 xícara de chá de água
  • Sal a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o azeite e leve ao fogo médio para aquecer. Adicione o alho e a cebola e doure. Acrescente as cenouras e as batatas e frite por 3 minutos. Após, coloque a água e cozinhe até os legumes ficarem macios. Desligue o fogo, espere esfriar, transfira a mistura para um liquidificador e bata até ficar homogêneo. Coloque a sopa novamente na panela e leve ao fogo médio para aquecer. Desligue o fogo, tempere com sal e sirva em seguida.

Sopa de batata

Ingredientes

  • 1/2 kg de batatas descascadas e raladas
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 2 dentes de alho descascados e picados
  • 1 cebola descascada e picada
  • 1 l de caldo de legumes
  • Sal e folhas de manjericão a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o azeite e leve ao fogo médio para aquecer. Adicione o alho e a cebola e doure. Acrescente as batatas e cozinhe por 5 minutos, mexendo ocasionalmente. Junte o caldo de legumes e o sal, reduza o fogo e cozinhe por 25 minutos. Desligue o fogo, coloque o manjericão e sirva em seguida.

Sopa de legumes

Ingredientes

  • 1 abóbora cabotiá descascada e cortada em cubos
  • 1 l de água
  • 1 tomate picado e sem sementes
  • 1 abobrinha descascada e picada
  • 1 chuchu descascado e picado
  • 1 cebola descascada e picada
  • 1 dente de alho descascado e amassado
  • 1 cenoura descascada e picada
  • Sal, pimenta-do-reino moída e azeite a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o azeite e leve ao fogo médio para aquecer. Adicione a cebola e o alho e doure. Acrescente a abóbora e refogue por 5 minutos. Junte o tomate, a abobrinha, o chuchu e a cenoura e cubra com a água. Cozinhe até os legumes ficarem macios. Tempere com sal e pimenta-do-reino. Desligue o fogo e sirva em seguida.

Sopa de cebola Imagem: Dar1930 | Shutterstock

Sopa de cebola

Ingredientes

  • 1 kg de cebola descascada e fatiada
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 l de caldo de legumes​
  • Sal e pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o azeite e leve ao fogo médio para aquecer. Adicione a cebola e doure. Acrescente o caldo de legumes, tampe a panela e cozinhe até encorpar. Tempere com sal e pimenta-do-reino. Desligue o fogo e sirva em seguida.

Dica: sirva acompanhado de pão italiano tostado e polvilhado com queijo parmesão ralado.

Caldo de ervilha

Ingredientes

  • 450 g de ervilha congelada
  • 1/2 cebola descascada e picada
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 xícara de chá de caldo de legumes
  • 1 xícara de chá de água
  • Sal e pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o azeite e leve ao fogo médio para aquecer. Adicione a cebola e doure. Acrescente o caldo de legumes e a água e cozinhe até levantar fervura. Junte as ervilhas, reduza o fogo e cozinhe por 10 minutos. Desligue o fogo, espere esfriar, transfira a mistura para um liquidificador e bata até obter uma consistência uniforme. Coloque na panela e leve ao fogo médio para aquecer. Desligue o fogo, tempere com sal e pimenta-do-reino e sirva em seguida.

Sopa de lentilha

Ingredientes

  • 500 g de lentilha
  • 3 tomates picados e sem sementes
  • 1 cebola descascada e picada
  • 2 dentes de alho descascados e amassados
  • 1 cenoura descascada e picada
  • 1 talo de aipo picado
  • 1 l de caldo de legumes
  • 1 colher de sopa de óleo de girassol
  • Sal e pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de preparo

Em água corrente, lave a lentilha, escorra e reserve. Em uma panela, coloque o óleo e leve ao fogo médio para aquecer. Acrescente a cebola, o alho e o aipo e refogue até a cebola ficar transparente. Adicione os tomates, a lentilha, a cenoura e o caldo de legumes e cozinhe até a lentilha ficar macia. Desligue o fogo, tempere com sal e pimenta-do-reino e sirva em seguida.





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

5 personagens de ‘House Of The Dragon’ para conhecer melhor

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:3 Minuto, 52 Segundo


‘House Of The Dragon’ tem cativado o público por sua trama intrigante e grandes personagens ‘House Of The Dragon’ tem cativado o público por sua trama intrigante e grandes personagens Imagem: Reprodução digital | HBO)

A segunda temporada de ‘House Of The Dragons’ estreou no dia 16 de junho e, desde então, tem cativado o público com sua trama repleta de intrigas políticas e batalhas épicas, enriquecida com um elenco ainda mais diversificado e cativante.

Além dos principais personagens da primeira temporada, novos rostos foram adicionados à sequência, trazendo motivações para a guerra civil Targaryen, conhecida como a Dança dos Dragões. Abaixo, veja quem são eles e conheça um pouco sobre as personalidades mais interessantes da série!

1. Rhaenyra Targaryen (Emma D’Arcy)

Rhaenyra Targaryen é uma das personagens mais importantes de ‘House Of The Dragon’ Imagem: Reprodução digital | HBO

A princesa Rhaenyra Targaryen é filha do Rei Viserys I Targaryen e casada, pela segunda vez, com príncipe Daemon Targaryen, seu tio. Na história, ela desempenha um papel fundamental para o desenrolar da saga, visto que foi a disputa pelo trono da família que deu origem à Dança dos Dragões, uma guerra civil que marcou a história de Westeros (continente fictício onde se passa a maior parte da trama).

Tudo começou após a morte do Rei Viserys, que nomeou a filha como a sua sucessora, por ela ser a irmã mais velha e ter um filho homem. No entanto, a decisão do monarca não foi respeitada após sua morte, e Aegon II, meio-irmão mais novo da princesa, assumiu o trono com a justificativa de ser o primeiro filho homem do rei. Ao saber da coroação, Rhaenyra declarou-se a verdadeira rainha e começou a reunir apoiadores para lutar por sua reivindicação, originando a sangrenta guerra abordada na série.

2. Alicent Hightower (Olivia Cooke)

Alicent Hightower é uma figura influente na política dos sete reinos Imagem: Reprodução digital | HBO

Filha de Otto Hightower, Alicent é uma membro poderosa da Casa Hightower e uma figura influente na política dos sete reinos. A sua história é marcada pela ascensão após a morte do Rei Viserys I, de quem ela era Rainha Consorte, e intrigas na corte, incluindo uma poderosa disputa com Rhaenyra. Isso porque, na segunda temporada, ela luta para manter o poder dos Westeros na mão dos seus filhos, Aegon II e Aemond Targaryen.

3. Lorde Corlys Velaryon (Steve Toussaint)

Lorde Corlys Velaryon desempenha um papel importante na disputa pelo trono de Westeros Imagem: Reprodução digital | HBO

Lorde Corlys, também conhecido como “A Serpente do Mar”, é chefe da Casa Velaryon, uma das mais antigas e respeitadas de Westeros, e possui uma vasta riqueza acumulada por meio de inúmeras expedições marítimas. Casado com Rhaenys Velaryon, uma cavaleira do dragão que reivindicou Meleys – a Rainha Vermelha –, ele é um dos apoiadores da princesa Rhaenyra durante a Dança dos Dragões contra seu meio-irmão Aegon e desempenha um papel fundamental na disputa pelo trono de Westeros, especialmente após se tornar Mão da “Rainha” Rhaenyra.

4. Lord Cregan Stark (Tom Taylor)

Lord Cregan Stark tem habilidades cruciais para vencer a Dança dos Dragões ao lado de Rhanyera Imagem: Reprodução digital | HBO

Lord Cregan Stark é um poderoso membro da Casa Stark, uma antiga família governante do Norte de Westeros, cuja sede é o castelo de Winterfell. Conhecido nos livros e na série por ser o Senhor de Winterfell e o Guardião do Norte, durante o período da Dança dos Dragões, ele é descrito como um líder forte e leal, do qual as habilidades são cruciais para a aliança com Rhaenyra na guerra. A inclusão do personagem na série promete trazer mais profundidade e intriga.

5. Alyn Velaryon (Abubakar Salim)

Alyn Velaryon é um personagem intrigante e que promete se destacar na luta das pessoas negras Imagem: Reprodução digital | HBO

Membro da Casa Velaryon, uma das casas nobres de Westeros, Alyn é introduzido na segunda temporada da série como o responsável por salvar Corlys Velaryon em um confronto marítimo. Ele é descrito na história como um jovem cavaleiro e um dos personagens intrigantes da trama. Promete se destacar na luta a favor das pessoas negras, principalmente considerando que as suas cenas estão relacionadas à dinâmica política e social.





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

7 benefícios da erva-cidreira para a saúde

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:4 Minuto, 14 Segundo


Veja como esta planta pode favorecer a saúde e auxiliar no tratamento de doenças

A erva-cidreira é uma planta benéfica para a saúde devido às suas propriedades calmantes, digestivas, anti-inflamatórias e antioxidantes A erva-cidreira é uma planta benéfica para a saúde devido às suas propriedades calmantes, digestivas, anti-inflamatórias e antioxidantes Imagem: aTp_artist | Shutterstock

A erva-cidreira, também conhecida como Melissa officinalis, é uma planta perene originária da região do Mediterrâneo e da Ásia Ocidental e amplamente utilizada na medicina tradicional e na culinária. Com agradável aroma cítrico, além de ser um ingrediente versátil em chás e receitas, ela oferece uma série de benefícios para a saúde. Abaixo, confira alguns deles!

1. Reduz o estresse e a ansiedade

A erva-cidreira é famosa por suas propriedades calmantes. O seu consumo em forma de chá pode ajudar a reduzir os níveis de estresse e ansiedade, promovendo uma sensação geral de relaxamento e bem-estar. Seus compostos ativos, como o ácido rosmarínico, desempenham um papel importante na modulação dos neurotransmissores relacionados ao estresse.

2. Melhora o sono

Para aqueles que enfrentam dificuldades para dormir, a erva-cidreira se mostra uma aliada natural. Seu efeito calmante promove um sono mais profundo e reparador. O chá de erva-cidreira, tomado antes de dormir, pode ser um ótimo remédio natural para insônia e distúrbios do sono.

“Costumo comparar o sono como a hora de recarregar a bateria da máquina chamada corpo humano. Se tivermos menos tempo de recarga, menor poder de ação e menor tempo de funcionamento com eficiência teremos no dia”, afirma o nutrólogo Dr. Carlos Portela.

3. Alivia dores de cabeça

A aplicação tópica de óleo essencial de erva-cidreira pode ajudar a aliviar dores de cabeça e enxaquecas. Suas propriedades anti-inflamatórias e relaxantes contribuem para a redução da tensão muscular e do estresse, fatores comuns associados às dores de cabeça.

“As cefaleias devem ser tratadas, mesmo as menos frequentes. Nos últimos 20 anos, os avanços nesse sentido foram enormes e, hoje, nenhum médico diz ao paciente uma frase que era comum há alguns anos: ‘você tem que se acostumar a viver com sua dor de cabeça’”, afirma o neurologista José Geraldo Speciali. 

A erva-cidreira beneficia a saúde cardiovascular ao reduzir a pressão arterial e melhorar a circulação sanguínea Imagem: Leka Talamoni | Shutterstock

4. Melhora a saúde cardiovascular

A erva-cidreira pode ter efeitos benéficos em relação à saúde cardiovascular. Ela ajuda a reduzir a pressão arterial e a melhorar a circulação sanguínea, devido às suas propriedades vasodilatadoras e relaxantes. “Quando há excesso de gordura na parede das artérias, isso atrapalha ainda mais o sangue chegar até alguns tecidos”, explica a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. “Essa má circulação pode ser extremamente perigosa, porque há riscos de desenvolvimento de insuficiência arterial periférica, infartos do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC)”, alerta.

6. Apoia o controle de peso

Por promover a saciedade e reduzir o apetite, a erva-cidreira pode ajudar no controle de peso. Seu efeito relaxante também pode ajudar a prevenir o comer emocional e o consumo excessivo de alimentos.

“Comer por estar feliz, comer por estar triste, por estar ansioso ou por estar estressado são apenas alguns dos sentimentos que criam uma relação doentia com a comida e que pode resultar em inúmeros transtornos alimentares, mas que podem ser tratados”, afirma a psicóloga Valeska Bassan.

6. Auxilia na digestão

A erva-cidreira possui propriedades digestivas capazes de aliviar sintomas de indigestão, como inchaço e gases. Ela estimula a produção de bile, o que facilita a digestão dos alimentos e contribui para a saúde geral do sistema digestivo.

“Um desequilíbrio bacteriano no intestino, ou ‘disbiose intestinal’, é muito comum hoje em dia. Estresse, alimentos processados, alto consumo de açúcar, álcool e uso excessivo de antibióticos são fatores comuns que diminuem nossas boas bactérias intestinais e contribuem para a disbiose intestinal”, explica o dermatologista Dr. Daniel Cassiano, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

7. Alívio de cólicas menstruais

O chá de erva-cidreira alivia cólicas menstruais devido às suas propriedades antiespasmódicas, que relaxam os músculos uterinos, e seu efeito calmante, que reduz o estresse e a ansiedade. Ainda, suas propriedades anti-inflamatórias diminuem a inflamação, e sua capacidade de melhorar a circulação sanguínea ajuda a reduzir o desconforto e a dor.

“No período menstrual, as contrações uterinas aumentam, justamente para auxiliar na eliminação do endométrio. Para ajudar neste processo, há aumento de mediadores inflamatórios locais, e isso, associado à contratilidade uterina aumentada, pode causar dor do tipo cólica”, explica a ginecologista Dra. Juliana Sperandio, parceira de Pantys, marca de calcinhas absorventes para menstruação, maternidade e incontinência.





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Popular