Connect with us

Vídeos

Conheça as características dos 5 reinos biológicos

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:3 Minuto, 51 Segundo


Reino biológico é dividido de acordo com as características físicas dos seres vivos Reino biológico é dividido de acordo com as características físicas dos seres vivos Imagem: PongMoji | Shutterstock

Reinos biológicos são organizações utilizadas para agrupar os seres de acordo com suas características estruturais, anatômicas e genéticas. Atualmente, existem 5 tipos de reinos identificados, são eles: Monera, Protista, Fungi, Plantae e Animalia. A seguir, aprenda sobre cada um deles:

1. Reino Monera

Esse reino é formado por bactérias, cianobactérias e arqueobactérias (algas azuis), sendo todas elas unicelulares e com célula procariótica. Esses seres microscópicos são geralmente menores que 8 micrômetros. A maioria deles são heterótrofos (não conseguem produzir seu próprio alimento) e possuem respiração aeróbica (oxigênio), anaeróbica (sem oxigênio) ou facultativa.

Quanto às formas físicas, os representantes do Reino Monera podem ser cocos (agrupam-se e formam colônias), bacilos, vibriões e espirilos. Locomovem-se com flagelos ou cílios, e a reprodução é assexuada, feita por bipartição.

Esses indivíduos têm importância na decomposição, na fermentação (leite), na farmacologia (antibióticos) e na genética (insulina). Ao homem, esses seres podem causar doenças, como bronquite, coqueluche, disenteria, difteria, faringite, gastrite, leptospirose, meningite, pneumonia, sinusite, terçol, tétano, tuberculose, entre outras.

2. Reino Protista

Esse reino agrupa organismos eucariontes, unicelulares, autótrofos e heterótrofos. Nele, estão as algas inferiores: euglenófitas, pirrófitas (dinoflagelados) e crisófitas (diatomáceas). A complexidade da célula eucariótica desses seres é tão grande que ela – sozinha – executa todas as funções que tecidos, órgãos e sistemas realizam em um ser pluricelular complexo. Locomoção, respiração, excreção, controle hídrico, reprodução e relacionamento com o ambiente são realizados com uma única célula.

Os seres desse reino são, na maioria, aquáticos. Vivem nos mares, rios, tanques, aquários, lodo, nas poças e na terra úmida. Há também espécies mutualísticas, sendo que boa parte delas é parasita de invertebrados e vertebrados.

Cogumelo é um tipo de fungo do reino fungi Imagem: JAmotret | Shutterstock

3. Reino Fungi

Os fungos são os grandes representantes desse reino. Eles são popularmente conhecidos como bolores, mofos, fermentos, levedos, orelha-de-pau, trufas e cogumelos-de-chapéu (champignon). É um grupo bastante numeroso, formado por cerca de 200 mil espécies, espalhadas por qualquer tipo de ambiente.

Os fungos apresentam grande variedade em seu modo de vida, podendo viver como saprófagos (quando obtêm seus alimentos decompondo organismos mortos) e como parasitas (quando se alimentam de substâncias que retiram dos organismos vivos nos quais se instalam, prejudicando-os ou estabelecendo associações mutualísticas). Além desses modos mais comuns de vida, existem alguns grupos de fungos considerados predadores, que capturam pequenos animais e deles se alimentam.

Os fungos saprófagos são responsáveis por grande parte da degradação da matéria orgânica, propiciando a reciclagem de nutrientes. Juntamente a algumas bactérias, eles compõem o grupo dos organismos decompositores, de grande importância ecológica.

4. Reino Plantae

Esse reino é composto pelas plantas, que são pluricelulares e eucariontes. Nesses aspectos, elas são semelhantes aos animais e a muitos tipos de fungos. Entretanto, têm uma característica que as distingue dos indivíduos dos demais reinos: todas são autotróficas, ou seja, produzem seu próprio alimento por meio do processo de fotossíntese.

As plantas, bem como outros seres fotossintetizantes, são produtoras de matéria orgânica, que nutre a maioria dos seres vivos da Terra, atuando na base da cadeia alimentar. Ao fornecerem gás oxigênio, os indivíduos do reino Plantae também contribuem para a manutenção da vida de milhares de seres, que, assim como eles próprios, utilizam esse gás na respiração.

5. Reino Animalia

Esse reino possui mais de 1 milhão de espécies, em suas mais variadas formas e em seus mais diversos tamanhos – desde corpos microscópicos, como ácaro, até corpos gigantes, como a baleia-azul. Alguns dos indivíduos dessa categoria possuem forma, organização e funcionamento simples, como a esponja-do-mar. Outros, por sua vez, apresentam uma estrutura complexa, como é o caso dos mamíferos.

Apesar da grande diversidade, quase todos os animais apresentam uma característica em comum: são formados por milhares de células de diversos tipos. Outro aspecto comum aos seres do reino Animalia é que eles obtêm seu alimento a partir de outros seres vivos. Na zoologia, tais indivíduos são classificados em dois grandes grupos: vertebrados (com coluna vertebral) e invertebrados (sem coluna vertebral).

Por Tao Consult





Fonte: Edicase

Vídeos

Descubra qual é o seu número da sorte e o que ele representa

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:4 Minuto, 47 Segundo


Consultora esotérica explica como a numerologia pode te ajudar a criar a própria sorte

A numerologia pode ser o primeiro passo para atrair mais oportunidades para a vida A numerologia pode ser o primeiro passo para atrair mais oportunidades para a vida Imagem: james benjamin | Shutterstock)

Quem nunca desejou contar com a sorte para alcançar algum desejo? Ao redor do mundo, muitos são os objetos ou símbolos que podem transferir ventura ao seu portador, como trevo-de-quatro-folhas e talismãs. Porém, existe algo que é imutável a cada ser humano e representa para si uma sorte inegável: a numerologia. 

Babalu, consultora esotérica da iQuilibrio, comenta que a numerologia se trata de um elemento que nunca vai ser inalterado. “Com cálculos simples, é possível chegar a um número de sorte único. É como criar ou descobrir a própria sorte. Os cálculos da numerologia são capazes de revelar um número que você sempre carregará como amuleto e ele lhe será muito útil”, explica.

A especialista ainda pontua que há um bom número para quase todas as coisas. “Há numerologia para sua moradia, para seu carro, número da sorte e até aniversário, tudo é questão de ser analisado, pois os números nos influenciam em todas as áreas da nossa vida. Com uma boa análise, você descobre seu número de sorte e outros caminhos também”, diz.

Como calcular o número da sorte?

Para calcular seu número da sorte, geralmente é somado os dígitos da sua data de nascimento até chegar a um único dígito. Veja como fazer, segundo a consultora da iQuilibrio: 

Exemplo 1: 06 de novembro de 1985

0+6 (dia do nascimento) + 1+1 (mês do nascimento) + 1+9+8+5 (ano do nascimento) = 31, então 3+1 = 4. O seu número da sorte é o 4.

Significado de cada número na numerologia

A seguir, Babalu explica o que representa cada número. Confira!

Número 1

O 1 na numerologia tem grande influência quanto às capacidades mentais e força criativa. Ele dá energia para começar as coisas e tomar ação. É também muito ligado à liderança, à força inovadora e à realização. 

O número 2 representa a harmonia e o equilíbrio Imagem: wacomka | Shutterstock

Número 2

O yin-yang, o número 2 é o da dualidade, harmonia e equilíbrio. A pessoa que o tem costuma ser sensível e carregada de intuição. Enquanto costumamos associar o número 1 à individualidade, as pessoas com 2 são cooperativas e precisam sempre estar com alguém.

Número 3

O número 3 na numerologia é visto na espiritualidade como a união entre mente, corpo e espírito. Essas pessoas devem aceitar sua criatividade e não ter medo de se expressar. A sorte se manifestará neste lado. 

Número 4

O número 4 na numerologia representa uma pessoa materialista e essa característica se reflete tanto em seus aspectos pessoais quanto nos profissionais. Sem se preocupar com valores subjetivos, a pessoa que tem essa regência procura trazer os sonhadores de volta à terra. Pensando sempre nas questões práticas da vida, tende a investir em bens duráveis, como imóveis, pois isso lhe traz segurança.

Número 5

Na numerologia, o significado do número 5 não é, naturalmente, alguém irresponsável. Porém, é preciso tomar cuidado para que esse seu ímpeto por mudanças não seja algo em vão. O entusiasmo é saudável, desde que não se torne ansiedade e impulsividade.

Número 6

O número 6 na numerologia está relacionado à noção de destino e de estabilidade. Ele está presente na estrela de Davi – que tem 6 pontas – e em diversos mitos e religiões. Ora aparece para indicar sorte, ora para indicar azar. Em algumas culturas árabes, a repetição é um bom presságio, por ser um número sagrado. Já em algumas passagens bíblicas, repetido 3 vezes, se relaciona à besta.

O número 7 é ligado ao conhecimento e à espiritualidade Imagem: wacomka | Shutterstock

Número 7

O significado do 7 na numerologia é, de todos os números, o mais místico e ligado ao conhecimento e à espiritualidade. Considerado ligado à perfeição, está presente em diversos mitos, rituais e religiões. Muito associado à magia e ao mundo místico, relaciona-se a diversos ciclos: os dias da semana, as fases lunares, o ciclo menstrual feminino, as cores do arco-íris e as notas musicais, por exemplo, são todos regulados por ele. Por isso, pertence também aos fenômenos naturais e aos mistérios do universo.

Número 8

O 8 na numerologia está ligado ao equilíbrio e à justiça. Ele é um número de mediação, visto que tem valor entre círculo e quadrado, Céu e Terra, o que confere a ele uma posição intermediária no mundo. É comum ser lembrado junto ao infinito, cujo símbolo é o 8 deitado. Devido a esse simbolismo, ele representa o ilimitado, o fluxo sem início ou fim. Cabe lembrar que essa característica o associa à inexistência de nascimento e de morte e, assim, o envolve nas dualidades físico/espiritual e terreno/divino.

Número 9

Conforme a numerologia explica, o significado do número 9 simboliza o final de um ciclo e o começo de outro. Também representa a realização total do homem, incluindo todas as aspirações e os desejos atendidos. É ele que corresponde o sinal do fim da estrada, sendo o guardião do último portão que nos oferece a tão esperada “boas-vindas” ao mundo espiritual.

Por Alice Veloso





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

4 livros com histórias infantis sobre os avós

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:4 Minuto, 41 Segundo


A leitura pode ser mais especial com os avós A leitura pode ser mais especial com os avós Imagem: PeopleImages.com – Yuri A | Shutterstock

Em 26 de julho é celebrado como o Dia dos Avós, uma data dedicada a homenagear essas figuras tão especiais e carinhosas em nossas vidas. Isso porque eles desempenham um papel fundamental, especialmente na vida das crianças, oferecendo amor, sabedoria e apoio incondicional.

Os avós são fontes de histórias, conselhos e brincadeiras, contribuindo de maneira significativa para o crescimento e desenvolvimento das crianças. Além disso, também ocupam um papel importante na criação dos netos e, por vezes, acabam se tornando parte essencial da infância deles.

Nesse cenário, vale refletir sobre a parentalidade, que por definição é a função exercida por qualquer adulto considerado responsável legal de uma criança ou de um adolescente. Mais do que englobar a maternidade e a paternidade biológicas, a função parental é garantir o desenvolvimento amplo das crianças e dos adolescentes e, no Brasil, essa função vem sendo cada vez mais ocupada pelas avós e pelos avôs.

“A figura dos avós, que vivem em um lugar diferente dos netos e que cuidam de forma esporádica deles, está cada vez mais escassa. A realidade é que para que os pais sigam atuantes no mercado de trabalho, é cada vez mais comum que sejam os avós a exercer a parentalidade de forma quase compulsória”, diz Sarah Helena, psicóloga e curadora de Leiturinha. 

Muitos significados de avós

Com isso, ser avó ou avô pode ter muitos significados, de acordo com Sarah Helena. “Dependendo da subjetividade e da particularidade de cada um, da região em que se vive, da cultura em que se está inserido, da composição familiar, da situação econômica e muitos outros aspectos”, explica a psicóloga.   

Assim como os avós podem assumir a parentalidade de maneira total ou complementar em relação aos pais, há pessoas que também podem representar uma referência de avô ou avó sem que, necessariamente, tenham laços sanguíneos com a criança ou com o adolescente.

Livros infantis sobre avós

Para homenagear avós e avôs, consanguíneos ou de coração, Sarah Helena indica 4 livros que tratam do tema para ler com as crianças. A psicóloga reforça que leituras como essas são essenciais para a vida e, quando feitas junto a pessoas especiais, transformam ainda mais essa experiência.

“Quando um avô conta uma história para um neto, lhe dá um presente: uma memória que, por mais inventada que seja, passa a fazer parte de si e de sua história e identidade, garantindo a preservação da memória de toda nossa cultura – somos todos netos de alguém”, reforça.

1. VovôLidô e o sumiço das rosquinhas – Original Leiturinha

“VovôLidô e o sumiço das rosquinhas” narra um avô como um super-herói Imagem: Divulgação | Original Leiturinha

Ao contar a história de quatro irmãos e de um super-herói, o VovôLidô, o livro estimula a criatividade e a imaginação das crianças. Além disso, a obra de Tino Freitas destaca o quanto é especial manter a cumplicidade em família, nos momentos divertidos e nos difíceis.

Ao narrar um avô como um super-herói, o livro consolida a relação com os netos como parte importante da trajetória de uma criança. “Seja como for, a presença dos avós na vida das crianças e dos adolescentes é garantir a eles o acesso à sua própria história, sua origem, seus valores, entre outros”, destaca Sarah Helena.  

2. Trançando o amor

“Trançando o amor” mostra o ritual de cuidados com os cabelos de Conceicinha Imagem: Divulgação | Original Leiturinha

O livro de Lorrane Fortunato conta a história de Conceicinha, uma menina que adora o ritual semanal que tem em família: trançar o cabelo. Não se trata só de um penteado, pois toda semana sua avó e sua mãe criam um ritual de cuidados, e isso gera nela os sentimentos de acolhimento e de alegria que ainda estão sendo identificados, nomeados por ela. Na obra, é possível aprender sobre ancestralidade e pertencimento com relação aos povos.  

3. O short azul do meu avô

Em “O short azul do meu avô”, Cissinha busca descobrir a história do short do avô Imagem: Divulgação | Original Leiturinha

O livro, escrito por Simone Mota e ilustrado por Valentina Fraiz, acompanha Cissinha e sua família. Eles mantêm a tradição de se reunirem depois do almoço de domingo para contar histórias. Cissinha fica incomodada, pois há uma que desejava muito de saber e que ninguém nunca contou: a história do short azul do bisavô Sebastião. Até que um dia, ela resolve por si só tentar encontrar esse tesouro e descobrir tudo sobre ele.

4. Tiquim e Trovão – Original Leiturinha

“Tiquim e Trovão” conta a história de um garoto com o cavalo de sua avó Imagem: Divulgação | Original Leiturinha

No livro, escrito por Tiago de Melo Andrade e ilustrado por Lumina Pirilampus, é possível conhecer Tiquim, um menino que mora na fazenda. Sua avó, quando menina, ganhou de presente do pai um cavalo chamado Trovão, que ficou conhecido no país por ter sido atingido por um raio e sobrevivido. A história acompanha Tiquim em suas aventuras no começo de um ano letivo em uma escola nova.

Por Luana Silva dos Anjos





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

Veja como o consumo de gorduras afeta o colesterol

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:3 Minuto, 42 Segundo


Nutricionistas explicam como o cuidado com a alimentação é importante para prevenir doenças cardíacas

As escolhas alimentares desempenham um papel importante na prevenção e na manutenção dos níveis de colesterol no sangue As escolhas alimentares desempenham um papel importante na prevenção e na manutenção dos níveis de colesterol no sangue Imagem: New Africa | Shutterstock

O colesterol é essencial para o organismo, pois é responsável por todas as membranas que envolvem as células e auxilia nos processos do metabolismo. Também é necessário para o crescimento e regeneração celular e, além de estar presente no sangue e em todos os tecidos, colabora com a produção dos hormônios sexuais e do cortisol (hormônio ligado ao estresse).

Neste contexto, a alimentação ocupa um papel importante na prevenção e na manutenção dos níveis adequados de colesterol no sangue. “A alimentação inadequada, rica em gordura saturada, trans, carboidratos simples e pobre em fibras pode favorecer o aumento do colesterol”, alerta Joana Lucyk, mestre em Nutrição pela UnB (Universidade de Brasília).

O colesterol bom protege o organismo, recolhendo o colesterol ruim depositado nos vasos sanguíneos para ser eliminado pelo fígado. O colesterol ruim, por sua vez, quando presente em grande quantidade no corpo, pode provocar o entupimento das artérias – aterosclerose, responsável por problemas cardiovasculares como infartos e derrames.

Influência dos hábitos no colesterol

Os dois tipos de colesterol podem ser influenciados pelos hábitos de vida. O colesterol bom, por exemplo, pode aumentar quando se pratica atividades físicas ou se consome determinados alimentos. O colesterol ruim, por outro lado, aumenta por fatores como alimentação inadequada e excesso de peso e, geralmente, está associado a outros fatores de risco como diabetes, tabagismo e pressão alta.

Ação das gorduras no colesterol

É importante entender que existem diversos tipos de gordura e que algumas trazem mais benefícios do que outras. Logo, para uma dieta equilibrada, deve-se respeitar as quantidades ideais de consumo de cada uma.

“A gordura saturada está presente nos alimentos de origem animal como carnes, ovos, manteiga, leite e derivados. Ela deve completar até 10% do total de energia da dieta diária. Essas gorduras aumentam o risco de dislipidemias (níveis elevados de gorduras no sangue) e doenças cardíacas e, por este motivo, devem ser consumidas com moderação”, explica a nutricionista Gabriela Marcellino.

As gorduras insaturadas são benéficas ao organismo, mas também devem ser consumidas em quantidades moderadas. Elas são divididas em monoinsaturadas, presentes nos óleos vegetais e sementes oleaginosas, e em poli-insaturadas, que podem ser encontradas em óleos vegetais e no óleo de peixe de água fria. Por isso, não é recomendado excluir as gorduras totalmente, mas escolhê-las de acordo com a qualidade nutricional.

As gorduras insaturadas são benéficas ao organismo, mas também devem ser consumidas em quantidades moderadas Imagem: Oleksandra Naumenko | Shutterstock

Tipos de gorduras

A seguir, a nutricionista Simone Abreu explica detalhadamente o que são gordura saturada, insaturada e trans. Confira:

1. Gordura saturada

É um tipo de gordura encontrado principalmente em produtos de origem animal e que, em temperatura ambiente, apresenta-se em estado sólido.

Onde é encontrada: carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves), leite e derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata) e azeite de dendê.

3. Gordura insaturada

Existente principalmente em vegetais, ela é líquida em temperatura ambiente. Há a monoinsaturada (com apenas uma ligação dupla de carbono) e a poli-insaturada (com mais de uma ligação dupla de carbono). Ela ajuda a reduzir o colesterol ruim, o triglicérides (tipo de gordura que, em níveis elevados, pode causar doenças coronarianas) e a pressão arterial.

Onde é encontrada: azeite de oliva, óleo de canola e de milho, amêndoa, castanha-do-pará, abacate, semente de linhaça, truta e salmão.

3. Gordura trans

É um tipo de gordura formada por um processo químico (hidrogenação), no qual óleos vegetais líquidos são transformados em uma gordura sólida. Não traz nenhum benefício à saúde. Esse tipo de gordura aumenta o colesterol ruim e, ao mesmo tempo, reduz o bom.

Onde é encontrada: margarina, biscoitos, batatas fritas, sorvete e salgadinhos de pacote.





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Popular