Connect with us

Tecnologia

Google Grasshopper pode te ajudar a programar: saiba como!

Prublicadas

sobre

Blog da ValueHost
Tempo de Leitura:6 Minuto, 5 Segundo


O Google Grasshopper é uma plataforma de aprendizado de programação gratuita que utiliza um método gamificado para ensinar os fundamentos da área de forma interativa e divertida, tornando-se mais acessível e atraente para iniciantes. Surgiu em 2018 como uma iniciativa de uma incubadora de projetos experimentais do Google, com o objetivo de democratizar o acesso à educação em programação.

Por meio de lições progressivas e desafios práticos, os usuários podem aprender conceitos básicos como variáveis, loops, condicionais e funções, além de construir websites, animações e resolver problemas utilizando JavaScript. Entenda mais, neste artigo!

Como o Google Grasshopper funciona?

A Grasshopper é uma plataforma de aprendizado de programação que adota um sistema didático gradual para ajudar os usuários a desenvolverem suas habilidades. Esse sistema funciona de maneira progressiva, em que o nível de dificuldade dos exercícios aumenta à medida que o aluno avança nas aulas.

Isso significa que, inicialmente, o usuário é apresentado aos fundamentos da programação, momento em que são abordados conceitos básicos e oferecidos exemplos simples para facilitar a compreensão.

No primeiro contato com a Grasshopper, os usuários precisam completar as aulas de Fundamentos, que cobrem tópicos como variáveis, loops, condicionais e funções, proporcionando uma base sólida para o aprendizado posterior.

Uma vez que o aluno demonstra domínio nesses fundamentos, ele pode avançar para os “Primeiros passos” e escolher áreas mais específicas de interesse, como desenvolvimento web, análise de dados, ou outros temas relacionados à programação.

Um aspecto interessante da Grasshopper é sua abordagem de desbloqueio de conteúdo. Algumas aulas e exercícios são bloqueados inicialmente e só são liberados à medida que o aluno progride e demonstra compreensão dos conceitos anteriores.

Isso ajuda a garantir que o aprendizado seja progressivo e que o usuário não se sinta sobrecarregado com informações muito avançadas antes de dominar os conceitos fundamentais.

Além das aulas tradicionais, a Grasshopper oferece suporte para situações práticas, como entrevistas de programação. Um módulo especial foi desenvolvido para auxiliar os alunos a se prepararem para entrevistas, apresentando questões desafiadoras que refletem situações reais, inclusive questões utilizadas em processos seletivos na própria Google.

O que você pode aprender na plataforma?

O Google Grasshopper não se limita a apresentar os conceitos básicos da programação; ele guia por uma jornada imersiva que permite construir websites, animações interativas e até mesmo resolver problemas complexos com maestria. Os usuários têm a oportunidade de aprender uma variedade de habilidades de programação.

Construção de sites com HTML e CSS

Os alunos podem aprender a criar páginas da web utilizando linguagens como HTML (Hypertext Markup Language) para estruturar o conteúdo e CSS (Cascading Style Sheets) para estilizar e formatar as páginas.

Criação de animações

A plataforma permite que os usuários aprendam a criar animações interativas utilizando técnicas de programação. Isso envolve o uso de CSS para animações básicas e JavaScript para interações mais avançadas.

Programação em blocos

A Grasshopper também oferece a oportunidade de aprender programação visual em blocos, em que os usuários podem criar algoritmos e lógica de programação sem a necessidade de escrever código diretamente. É especialmente útil para iniciantes que estão se familiarizando com os conceitos fundamentais da área.

Resolução de problemas com JavaScript

Os usuários podem praticar a resolução de problemas utilizando JavaScript, uma linguagem de programação amplamente utilizada para desenvolvimento web. Isso inclui aprender sobre métodos de matriz, manipulação de elementos DOM (Document Object Model), eventos interativos e muito mais.

Uso do ambiente de desenvolvimento integrado (IDE)

A plataforma também orienta os alunos sobre como utilizar um ambiente de desenvolvimento integrado para escrever, testar e depurar código de forma eficiente. Nesse sentido, envolve compreender ferramentas e recursos disponíveis em um ambiente de programação profissional.

Como usar a plataforma?

Por meio de uma metodologia gamificada e personalizada, a plataforma te guia desde a instalação até a criação de seus próprios projetos. Para usar o Google Grasshopper, siga os seguintes passos.

Acesso ao site do Google Grasshopper

A primeira etapa é acessar o site oficial do Google Grasshopper e fazer login com sua conta do Google para obter acesso total às lições e recursos.

Escolha da lição

Após o login, explore uma variedade de lições disponíveis e escolha aquela que deseja iniciar. As lições são organizadas de forma progressiva, começando pelos conceitos básicos e avançando para temas mais complexos conforme você avança.

Conclusão dos desafios

Cada lição no Google Grasshopper apresenta desafios específicos que ensinam conceitos de programação, como loops, funções e objetos. Ao concluir um desafio, o Grasshopper encaminha automaticamente para o próximo, assegurando uma progressão coerente no aprendizado.

Ganho de insígnias

À medida que você avança e completa os desafios, o Grasshopper reconhece seu progresso com insígnias, indicando seu nível de habilidade e o progresso na aprendizagem. Essas insígnias servem como incentivo para continuar aprendendo.

Prática do que aprendeu

Para fortalecer o aprendizado, pratique o que foi ensinado nas lições. O Google Grasshopper oferece exemplos de código para edição e experimentação direta na plataforma. Além disso, encoraja a criação de projetos próprios para aplicar os conceitos aprendidos, consolidando habilidades de programação.

Bônus: como aprender ou melhorar na programação?

Para quem deseja aprender ou melhorar na programação, especialmente utilizando o Google Grasshopper como ferramenta de aprendizado, aqui estão algumas dicas valiosas.

Explore cursos online complementares

Além de utilizar o Google Grasshopper, é altamente recomendável explorar cursos online complementares que abordem conceitos mais avançados de programação. Plataformas como Coursera, Udemy e edX oferecem uma ampla variedade de cursos em diferentes linguagens e áreas da programação. Esses cursos podem aprofundar seus conhecimentos e proporcionar uma visão mais abrangente do universo da programação.

Participe de comunidades e fóruns

Junte-se a comunidades online de programadores, como Stack Overflow, GitHub, Reddit e fóruns especializados em linguagens de programação específicas. Esses espaços são excelentes para tirar dúvidas, compartilhar experiências, colaborar em projetos e estar atualizado sobre as tendências e novidades na área da programação.

Pratique regularmente o código

A prática é fundamental para aprimorar suas habilidades de programação. Reserve tempo regularmente para praticar o que você aprendeu no Google Grasshopper e em outros cursos. Experimente resolver desafios de programação, participe de projetos open source e crie seus próprios projetos para aplicar os conhecimentos adquiridos.

Diversifique suas habilidades

Explore diferentes linguagens de programação, frameworks e tecnologias. Isso amplia suas habilidades e torna você mais versátil no mercado de trabalho. Além disso, estar familiarizado com diferentes ferramentas e abordagens de programação pode abrir portas para novas oportunidades profissionais.

O Google Grasshopper é uma excelente ferramenta para quem deseja aprender a programar de forma leve e divertida. A plataforma oferece uma variedade de recursos que facilitam o aprendizado, como lições interativas, desafios práticos, feedback personalizado e insígnias para acompanhar o progresso. Além disso, disponibiliza suporte para entrevistas de programação e incentiva a prática constante para solidificar o conhecimento adquirido.

Achou este conteúdo relevante? Compartilhe-o nas suas redes sociais e descubra entre seus contatos quem já conhece e utiliza o Google Grasshopper também!





Fonte: Valuehost

Tecnologia

Hospedagem de site HTML: entenda como fazer!

Prublicadas

sobre

Blog da ValueHost
Tempo de Leitura:6 Minuto, 29 Segundo


Todo profissional na área de TI sabe que a hospedagem HTML pode ser crucial para a presença online da sua empresa. Quando se trata de compartilhar informações essenciais ou promover serviços, ter controle sobre o processo de hospedagem é fundamental.

Neste guia, vamos explorar passo a passo de como realizar a hospedagem de um site HTML de forma eficiente e segura. Desde a configuração inicial até a escolha do provedor de hospedagem adequado, garantiremos que você tenha as informações necessárias para manter seu site funcionando sem problemas.

Então, acompanhe a leitura deste conteúdo até o final. Confira com atenção todos os pontos que temos a demonstrar neste artigo!

Hospedagem em HTML: simplicidade na prática

Uma das grandes vantagens da hospedagem de sites HTML é a sua simplicidade. Ao contrário de plataformas mais complexas que exigem configurações detalhadas e conhecimentos avançados, hospedar um site HTML é algo que pode ser feito de maneira direta e acessível.

Tudo o que você precisa é de um servidor web básico capaz de interpretar e servir arquivos HTML, CSS e outros recursos estáticos, como imagens e scripts.

Com um servidor web configurado, você pode simplesmente transferir os arquivos do seu site para o diretório adequado no servidor através de FTP (File Transfer Protocol), ou usando o gerenciador de arquivos fornecido pelo provedor de hospedagem. Em seguida, o site estará pronto para ser acessado pelos visitantes por meio do seu domínio.

Essa abordagem não apenas simplifica o processo de manutenção do site, mas também oferece maior controle sobre a segurança e o desempenho, uma vez que você não depende de sistemas complexos ou atualizações frequentes de plataformas de CMS. Para empresas que valorizam a estabilidade e a simplicidade operacional, hospedar um site HTML pode ser a escolha ideal.

Passo a passo para hospedar um site HTML

Agora que você entende como a hospedagem HTML facilita o dia a dia de quem precisa criar um site, nós mostraremos o passo a passo desse tipo de ação. Confira!

Registro do domínio

Antes de tudo, registre um domínio que represente sua empresa ou projeto. Escolha um nome que seja fácil de lembrar e que esteja relacionado ao propósito do seu site.

Definição da função do site

Determine claramente qual será a função do seu site HTML. Ele será um portal informativo, uma vitrine de produtos ou terá outra finalidade específica? Essa definição ajudará a estruturar o conteúdo e o design.

Contratação do serviço de hospedagem

A contratação do serviço de hospedagem é algo muito simples. Com apenas alguns passos, já é possível ter acesso a esse serviço. Aqui, você precisa avaliar:

  • os requisitos da hospedagem: verifique se a hospedagem escolhida suporta todos os recursos necessários para seu site HTML, como suporte a PHP (se necessário), banco de dados (se aplicável), segurança SSL, e-mails personalizados, entre outros;
  • a escolha do plano de hospedagem adequado às suas necessidades: considere o tráfego esperado, a escalabilidade e o suporte oferecido pelo provedor.

Configuração do site HTML na nova hospedagem

Agora, mostraremos como você deve fazer a configuração no site em sua nova hospedagem HTML. Para tanto, você deve:

  • escolher o provedor de hospedagem: procure um provedor de hospedagem que atenda às suas necessidades de espaço em disco, largura de banda, suporte técnico e outros recursos adicionais de que você possa precisar;
  • acessar o painel de controle: após contratar o serviço de hospedagem, você receberá acesso ao painel de controle (geralmente cPanel, Plesk ou similar). Aqui, você poderá configurar seu site e gerenciar os arquivos.
  • transferir os arquivos: utilize um cliente FTP (File Transfer Protocol) para transferir os arquivos do seu site (arquivos HTML, CSS, JavaScript, imagens etc.) para o diretório correto no servidor web. Alternativamente, você pode usar o gerenciador de arquivos fornecido pelo provedor de hospedagem;
  • configuração do domínio: se o domínio não estiver associado automaticamente, você precisará configurar a DNS (Domain Name System) para apontar para os servidores de DNS do seu provedor de hospedagem.

Seguindo esses passos, você estará pronto para ter seu site HTML funcionando de maneira eficiente e acessível para seus visitantes. Essa abordagem direta não apenas simplifica o processo de lançamento, mas também oferece controle total sobre o conteúdo e a segurança do seu site.

Quais são as vantagens oferecidas pela Valuehost?

A Valuehost é uma empresa especializada na oferta dos serviços de hospedagem HTML. Ela oferece uma gama de benefícios e vantagens para quem deseja contratar esse tipo de ferramenta. Veja nos tópicos abaixo!

Confiabilidade e disponibilidade

Provedores de hospedagem como a Valuehost geralmente se destacam pela alta disponibilidade de seus servidores. Assim, é possível garantir que seu site esteja online e acessível para os visitantes na maior parte do tempo.

Suporte técnico eficiente

Um suporte técnico ágil e competente é crucial para resolver quaisquer problemas técnicos que possam surgir rapidamente. Na Valuehost, temos o suporte 24/7 via diferentes canais de comunicação.

Isso significa que você pode ser atendido durante todos os dias do mês, nas 24 horas do dia. Assim, pode contar com os desenvolvedores e especialistas do nosso time de suporte. O atendimento pode ser por meio de chat, ticket ou e-mail.

Segurança avançada

Proteger seus dados e os dados dos seus clientes é essencial. Os provedores da Valuehost oferecem medidas robustas de segurança, como firewalls, proteção contra malware e certificados SSL.

Performance e velocidade

A velocidade de carregamento do site é crucial para a experiência do usuário e para o SEO. Boas empresas de hospedagem investem em infraestrutura de alta performance e tecnologia de cache para otimizar o desempenho do site.

Com a Valuehost, você tem qualidade garantida. A performance oferecida pela empresa é tão satisfatória que oferecemos 30 dias de teste gratuito. Durante esse período, o contratante pode perceber que a Valuehost entrega cerca de 20x mais superioridade em termos de performance que os concorrentes.

Facilidade de uso e interface intuitiva

Uma interface de usuário amigável facilita a configuração e o gerenciamento do seu site, permitindo que você realize tarefas como configurar contas de e-mail, gerenciar bancos de dados e instalar aplicativos com facilidade.

Além disso, a Valuehost oferece uma infraestrutura robusta e, principalmente, redundante. Isso garante que os servidores sempre suportem mais tráfego do que o limite contratado pelo cliente. Assim, você evita perder dados em caso de eventuais problemas que possam ocorrer.

Ainda, nosso contingente de infraestrutura garante índices muito altos de disponibilidade ativa nos servidores, bem como nos serviços, alcançando cerca de 99,9%.

Planos flexíveis e escalabilidade

A capacidade de escalar recursos conforme suas necessidades crescem é crucial. A Valuehost oferece planos escaláveis e flexíveis para que você possa ajustar seus recursos de acordo com o crescimento do seu site.

A partir de R$ 31,99 por mês, já é possível contratar os planos da Valuehost. Inclusive, no mais básico, já é viável contar com alguns benefícios interessantes, tais como contas de e-mails ilimitadas, backup incluso, suporte via chat, entre outros.

Como vimos, a hospedagem HTML é um grande avanço na criação de sites. Com essa tecnologia, as empresas podem oferecer uma experiência única aos seus usuários, permitindo que eles realizem aplicações complexas que seriam impossíveis de serem feitas sem a presença do HTML.

Contudo, para obter todos esses benefícios, você precisa contar com o apoio de uma empresa especializada nesse tipo de ferramenta. Portanto, entre em contato conosco e converse com um de nossos especialistas!





Fonte: Valuehost

Continue Lendo

Tecnologia

Ia para programar: veja 6 recursos e 6 ferramentas!

Prublicadas

sobre

Blog da ValueHost
Tempo de Leitura:5 Minuto, 48 Segundo


Quando se pensa em IA para programar, é preciso saber que a inteligência artificial oferece uma grande variedade de recursos e ferramentas inovadoras para facilitar o desenvolvimento de projetos variados, como softwares, aplicativos mobile e sites. Com a utilização desses métodos e aplicações, os profissionais de TI podem otimizar seus processos, aumentar a eficiência e alcançar resultados mais precisos.

A opções disponíveis no mercado entregam soluções adaptáveis às mais diversas demandas. Para descobrir mais sobre esses aparatos e como eles impactam positivamente o seu trabalho, não deixe de conferir o post completo.

Aprofunde seus conhecimentos em IA para programar!

Quais são os recursos de IA para programar disponíveis?

Com o avanço da automação, vários métodos foram lançados para auxiliar programadores em suas tarefas diárias. Aqui, exploraremos alguns dos principais recursos de IA para programar disponíveis para desenvolver e melhorar sistemas.

1. Criação e revisão de código

Essas são etapas indispensáveis na elaboração de software. Ferramentas de IA, como o GitHub Copilot, utilizam modelos de linguagem avançados para sugerir trechos de codificação, completar automaticamente linhas de código e até mesmo gerar funções inteiras com base em descrições simples fornecidas pelos desenvolvedores. Tal prática acelera o processo de codificação e ajuda profissionais de TI a aprender novas sintaxes e padrões de encriptação.

Além disso, a revisão de código assistida por IA detecta problemas potenciais e apresenta melhorias antes mesmo de o código ser inspecionado por colegas humanos.

2. Refatoração inteligente

Refatorar é o ato de aprimorar a estrutura interna do código sem alterar seu comportamento externo. Recursos de refatoração inteligentes são capazes de identificar áreas de combinação que podem ser otimizadas. Eles indicam alterações que reforçam a legibilidade, reduzem a complexidade e reforçam a competência do código.

Esses aparatos utilizam algoritmos avançados para analisar a estrutura de forma integral a fim de encontrar duplicações e falhas comuns. Com base nessa análise, eles apontam como o código deve ser refatorado.

3. Previsão de bugs

Recursos de ponta podem prever onde bugs são mais prováveis de ocorrer, analisando padrões em grandes quantidades de código e histórico de erros anteriores. Tal condição permite que os desenvolvedores se concentrem em áreas críticas que necessitam de mais atenção.

Algoritmos de machine learning são treinados para identificar sinais incomuns, como mudanças frequentes em certos módulos de código ou práticas de codificação inconsistentes. Ao prever bugs, as equipes podem adotar uma abordagem proativa na correção de problemas, reduzindo o tempo e o custo associados a ajustes posteriores.

4. Debugging por IA

O debugging, ou depuração, é uma parte estratégica do desenvolvimento de software, mas pode ser extremamente demorado. Recursos dessa natureza ajudam a identificar, isolar e reparar inconsistências no código com precisão. Utilizando técnicas de aprendizado de máquina, essas ferramentas analisam o comportamento do programa de forma instantânea, detectando anomalias imediatamente.

5. Detecção de plágio de código

Funcionalidades de IA são capazes de comparar o código submetido com grandes bases de dados de código para reconhecer trechos que foram copiados sem a devida atribuição. Algoritmos de detecção de plágio analisam a estrutura e os padrões para constatar semelhanças, mesmo quando o conjunto foi ligeiramente alterado.

6. Automação de testes

Ensaios automatizados permitem que o código funcione conforme esperado em diferentes cenários. Existem recursos que utilizam IA para criar testes mais robustos e detectar problemas que poderiam passar despercebidos em averiguações manuais. Dessa forma, você não só aumenta a cobertura de simulações, mas também reduz o tempo e o esforço necessários para garantir funcionamento adequado do software.

Quais ferramentas podem ajudar?

Além dos recursos mencionados no tópico anterior, existem ferramentas que merecem ser utilizadas para potencializar o uso da IA para programar. Conheça algumas sugestões.

1. TessAI

É uma ferramenta inovadora que oferece sugestões inteligentes imediatas, identifica possíveis bugs e indica otimizações. Também facilita a refatoração de código, recomendando melhorias para aumentar a legibilidade e favorecer o funcionamento do programa. A capacidade de prever falhas potenciais antes que elas ocorram é um dos maiores diferencias desta solução, economizando tempo e diminuindo a necessidade de depuração extensa.

2. Codiga

É uma plataforma de análise de código que fornece feedback instantâneo sobre o código escrito. O Codiga faz uma varredura em busca de problemas de estilo, segurança e desempenho. É recomendado para equipes que seguem padrões de codificação rigorosos, pois garante que todas as submissões estejam em conformidade com esses critérios. Além disso, pode ser integrado a diferentes ambientes de desenvolvimento, facilitando a adoção em projetos existentes.

3. Tabnine

Foi desenvolvido para autocompletar código alimentado por IA por meio de uma grande variedade de linguagens de programação. Por meio de funcionalidades avançadas, o Tabnine sugere conclusões de código baseadas no contexto do que o desenvolvedor está escrevendo, o que ajuda a evitar erros comuns e a aprender novas sintaxes. É altamente personalizável, permitindo que os programadores ajustem as sugestões com base em seus estilos preferidos.

4. CodeT5

É uma solução poderosa de IA para programar desenvolvida pelo Salesforce Research, baseada no modelo T5 (Text-To-Text Transfer Transformer). O CodeT5 foi projetado para várias tarefas de programação, como geração de código, tradução de linguagens e autocompletar.

Por meio de recursos de machine learning, é treinado em um vasto conjunto de dados de código fonte, permitindo que ele interprete e gere codificações com alta precisão. Sua capacidade de tradução apurada é bastante útil para equipes de TI que trabalham em ambientes multilinguagem.

5. ChatGPT

Desenvolvido pela OpenAI, o ChatGPT é uma ferramenta versátil que pode ser incorporada em várias tarefas de programação. Além de ajudar com perguntas de codificação e problemas de depuração, é capaz de gerar snippets de código, explicar conceitos de desenvolvimento e indicar saídas para desafios específicos.

Sua capacidade de entender linguagem natural facilita a interação, tornando-o uma excelente aplicação para aprendizado e resolução de ocorrências desfavoráveis.

6. Kite

Kite é uma ferramenta de codificação assistida por IA para programar com funções de autocompletar e documentação em tempo real. Ela suporta várias linguagens e editores, proporcionando uma experiência de codificação mais fluida. Além disso, utiliza modelos de aprendizado para prever a próxima linha de código que um desenvolvedor provavelmente escreverá.

E então, o que achou dos recursos e ferramentas de IA para programar? O segredo para favorecer o desenvolvimento de soluções de forma estratégica está em escolher aqueles que são compatíveis com as demandas e complexidades do projeto. Assim, será possível alcançar novos níveis de competência e criatividade para entregar produtos de qualidade para os clientes e usuários.

Aproveite o gancho da leitura e conheça um pouco mais sobre o ChatGPT, a IA da OpenAI.





Fonte: Valuehost

Continue Lendo

Tecnologia

Hotlinking: como deixar seu site mais seguro dessa ameaça?

Prublicadas

sobre

Blog da ValueHost
Tempo de Leitura:5 Minuto, 37 Segundo


O hotlinking é uma prática comum na web que pode trazer diversos problemas para os sites envolvidos. Ao vincular um arquivo hospedado em outro site diretamente no seu, você consome recursos do servidor original, aumenta o tráfego e pode até mesmo ter seu conteúdo roubado.

Neste artigo, explicamos como o hotlinking funciona e damos dicas para você proteger seu site contra essa prática. Acompanhe!

O que é hotlinking e como funciona?

No mundo digital, o termo “hotlinking” se refere à prática de vincular diretamente um arquivo hospedado em outro site, sem baixá-lo para o seu próprio servidor ou dar o devido crédito à fonte original.

Essa prática é frequentemente associada a imagens, mas também pode envolver outros tipos de arquivos digitais, como vídeos, áudios, documentos PDF e animações em Flash. Ao utilizar hotlinking, você economiza espaço de armazenamento e largura de banda em seu próprio servidor, mas essa economia vem à custa do servidor do site original, que arca com o tráfego e a carga do arquivo.

Do ponto de vista técnico, o hotlinking coloca uma pressão adicional sobre o servidor de origem, aumentando o consumo de largura de banda. Isso pode resultar em custos mais elevados para o proprietário do site de origem, especialmente se o tráfego for substancial.

Muitos consideram essa prática como uma forma de uso indevido de recursos, já que o site que faz o hotlinking se beneficia do conteúdo sem compensar o site de origem.

Qual a diferença entre hotlinking e incorporação?

É importante distinguir o hotlinking da incorporação, outra prática comum na web. Ao incorporar conteúdo de outro site, você utiliza um código específico que permite que o conteúdo seja exibido diretamente em seu site, mas ainda hospedado no servidor original.

Na incorporação, o crédito à fonte original é mantido, e o tráfego é direcionado para o site de origem, o que pode ser benéfico para ambas as partes. Já no hotlinking, o crédito à fonte pode ser perdido, e o tráfego é direcionado para o seu site, onerando a largura de banda do servidor original.

Por que o hotlinking é problemático?

O hotlinking, quando realizado sem autorização ou consentimento da fonte original, pode trazer diversas consequências negativas, tanto para o site que pratica o hotlinking quanto para o site que hospeda o conteúdo.

Para o site que pratica o hotlinking

O site que hospeda o conteúdo pode bloquear o acesso de endereços IP que praticam hotlinking excessivo. Além disso, o carregamento de arquivos de outros sites pode afetar o desempenho do seu próprio site, especialmente se o tráfego for alto. Praticar hotlinking de forma antiética pode prejudicar a reputação do seu site e da sua marca.

Para o site que hospeda o conteúdo

O hotlinking consome recursos do servidor, aumentando a largura de banda e os custos de hospedagem. Em alguns casos, pode ser usado para roubar conteúdo e reivindicá-lo como próprio. Além disso, o site que hospeda o conteúdo perde o controle sobre como e onde seu conteúdo está sendo exibido.

Quais as estratégias para proteger seu site contra hotlinking?

Combater o hotlinking de maneira eficaz é fundamental para proteger a largura de banda do seu site, defender seus direitos autorais e garantir a experiência ideal para seus visitantes. Aqui estão algumas dicas!

Redes de distribuição de conteúdo (CDNs) com proteção contra hotlinking

As CDNs (Content Delivery Networks) são ferramentas valiosas para otimizar o desempenho e a segurança do seu site. Diversos provedores de CDN, como KeyCDN e Cloudflare, oferecem recursos integrados de proteção contra hotlinking, sem custos adicionais. Para ativar, geralmente o passo a passo abaixo é suficiente:

  • faça login no painel de controle da sua CDN e acesse o painel de controle;
  • navegue até a seção de configurações relacionada à proteção contra hotlinking;
  • habilite a funcionalidade de proteção contra hotlinking;
  • configure as regras para bloquear o acesso a arquivos específicos ou domínios não autorizados;
  • aplique as configurações e monitore sua efetividade.

Plugins WordPress

Para sites WordPress, plugins de segurança podem oferecer uma camada adicional de proteção contra hotlinking. O plugin “All In One WP Security & Firewall” se destaca por sua popularidade e seus recursos robustos de segurança, incluindo prevenção de hotlinking integrada. Implementá-lo é bem simples:

  • acesse o painel de administração do WordPress e navegue até “Plugins” > “Adicionar Novo”;
  • busque por “All In One WP Security & Firewall” e clique em “Instalar Agora”;
  • após a instalação, ative o plugin clicando em “Ativar”;
  • acesse “All In One WP Security” > “Proteção contra Hotlinking”;
  • configure as regras para bloquear domínios, IPs ou referenciadores específicos;
  • salve as configurações e monitore sua efetividade.

Desativação do clique direito no WordPress

Outra estratégia para reduzir o risco de hotlinking é desabilitar a funcionalidade do clique com o botão direito do mouse, dificultando a cópia direta de imagens e outros conteúdos.

Para isso, um plugin recomendado é o Prevent Content Theft. Para utilizá-lo, acesse o painel do WordPress, vá até a aba “Plugins” e selecione “Adicionar novo”. Pesquise por “Prevent Content Theft”, instale o plugin e ative-o. Esse plugin não requer configurações adicionais.

Renomeação de arquivos como solução pontual

Se você identificar que determinados arquivos estão sendo hotlinkados frequentemente, uma solução rápida é renomeá-los. Primeiramente, identifique o arquivo em questão. Em seguida, faça a renomeação no seu servidor e atualize os links em seu próprio site.

Os sites que estão hotlinkando o arquivo verão um erro 404, indicando que ele não foi encontrado. Embora eficaz a curto prazo, essa solução é mais paliativa e não é ideal para um grande volume de hotlinking.

Configurações do cPanel

Se seu site utiliza cPanel, você pode habilitar a proteção contra hotlinking diretamente por meio das configurações. Para isso, acesse o painel, encontre a opção “Hotlink Protection” na seção “Security”, habilite a proteção contra hotlinking e configure os domínios permitidos. Essa abordagem é fácil de configurar e não requer conhecimento avançado de TI.

Proteger seu site contra hotlinking é importante para garantir a segurança, o desempenho e a experiência ideal para seus visitantes. As dicas apresentadas neste artigo oferecem um ponto de partida para proteger seu site e evitar os problemas causados pelo hotlinking.

Para mais informações, confira também nosso guia com tudo o que você precisa saber para garantir a segurança do seu site de uma vez por todas.





Fonte: Valuehost

Continue Lendo

Popular