Connect with us

Vídeos

3 dicas para limpar o sofá corretamente

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:2 Minuto, 38 Segundo


Manter o sofá limpo ajuda a prevenir doenças respiratórias Manter o sofá limpo ajuda a prevenir doenças respiratórias Imagem: Wasan Tita | Shutterstock

O sofá é um lugar confortável para descansar após um dia de trabalho e um espaço acolhedor para reunir-se com a família e amigos. Porém, devido ao uso frequente, ele acumula sujeira e microrganismos prejudiciais à saúde. Nesse sentido, a limpeza regular não apenas prolonga a vida útil do móvel, mas também ajuda a prevenir alergias e problemas respiratórios.

“Ao longo do tempo, estofados como sofás e poltronas, acumulam poeira, sujidades e ácaros. A limpeza regular desses móveis ajuda a reduzir a presença desses elementos, além de melhorar a qualidade de vida das pessoas que moram na casa e fazem uso do estofado, especialmente se forem pessoas alérgicas”, reforça José Previero, especialista em tecidos da OMO Lavanderia.

Para a higienização de sofás e poltronas, é imprescindível escolher o método de limpeza e utilizar produtos adequados para o tipo de tecido do estofado. Alguns modelos, por exemplo, exigem métodos específicos, a fim de evitar danos na estrutura. 

Por isso, a seguir, José Previero dá algumas dicas para você limpar o sofá adequadamente!

1. Aspiração regular

O aspirador de pó é um grande aliado quando o assunto é higienização de estofados. Isso porque ele ajuda a remover a poeira, migalhas e detritos que ficam soltos no tecido, evitando que as partículas de sujeira se acumulem. 

Você pode utilizar uma escova para ajudar na limpeza do sofá Imagem: Gstockstudio | Shutterstock

2. Uso de produtos adequados

Diferentes tecidos necessitam de diferentes cuidados. Sendo assim, é preciso atenção na hora de higienizar estofados e poltronas, até mesmo para não desgastar o tecido do móvel. Após entender qual produto é o mais indicado, é chegado o momento de escovar o tecido com cerdas macias para soltar a sujeira e garantir a ação do produto no tecido. Após esse processo, é necessário remover o excesso de umidade e a secagem do estofado.

3. Limpeza profissional

Apesar da aspiração e dos cuidados caseiros ajudarem a manter o sofá limpo, a limpeza profissional é indispensável pelo menos a cada 6 meses. Somente ela é capaz de fazer uma higienização mais detalhada e profunda do estofado.

“Esses são apenas alguns dos cuidados que podem ajudar a preservar a peça decorativa das salas de estar. Além disso, outro ponto que merece atenção é a questão da exposição ao sol. Móveis que ficam expostos de forma recorrente ao sol estão sujeitos ao desbotamento. Por isso, outra dica importante, além da parte de higienização, é evitar que sofás e poltronas recebam sol diariamente, pois isso pode interferir na tonalidade da peça”, finaliza José Previero. 

Por Gabriela Porto Alegre 





Fonte: Edicase

Vídeos

7 tipos de vitaminas e em quais alimentos encontrá-las

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:4 Minuto, 24 Segundo


As vitaminas são nutrientes essenciais com funções específicas, encontradas em diversos alimentos As vitaminas são nutrientes essenciais com funções específicas, encontradas em diversos alimentos Imagem: beats1 | Shutterstock

As vitaminas são nutrientes que desempenham papéis fundamentais no funcionamento adequado do corpo humano. Sem elas, diversos processos metabólicos, imunológicos e regenerativos ficariam comprometidos, afetando a saúde e o bem-estar. Cada uma delas possui funções específicas que vão desde a manutenção da visão e da pele até a formação de células sanguíneas e a proteção contra danos oxidativos.

Nesse sentido, uma dieta balanceada, rica em frutas, legumes, verduras, grãos integrais e proteínas magras, garante a ingestão necessária dessas substâncias. Por isso, a seguir, confira 7 tipos de vitaminas, suas funções e em quais alimentos encontrá-las!

1. Vitamina A

A vitamina A possui papel fundamental no crescimento, desenvolvimento e manutenção dos ossos. Ela também fortalece o sistema imunológico e protege as células contra danos causados pelos radicais livres, que podem acelerar o envelhecimento celular. Pode ser encontrado em alimentos de origem vegetal e animal, tais como:

  • Fígado;
  • Leite fortificado;
  • Ovos;
  • Mamão;
  • Melão;
  • Abacaxi;
  • Cenoura;
  • Batata-doce;
  • Espinafre;
  • Couve.

2. Vitamina E

A vitamina E ajuda a proteger as células contra os danos causados pelos radicais livres, que são moléculas instáveis produzidas pelo corpo em resposta ao estresse ambiental, como poluição e radiação ultravioleta. Além disso, auxilia no funcionamento do sistema imunológico, ajudando a combater infecções. Também é importante para a saúde da pele. Ela está presente em:

  • Óleos vegetais (óleo de girassol e óleo de gérmen de trigo);
  • Oleaginosas e sementes (nozes, amêndoas e sementes de girassol);
  • Espinafre;
  • Brócolis;
  • Abacate.

3. Vitamina C

A vitamina C é um antioxidante poderoso que ajuda na proteção das células contra danos. Ela também é essencial para a síntese de colágeno, absorção de ferro não-heme (de origem vegetal) e função imunológica.

“Os antioxidantes na dieta podem desempenhar um papel importante na prevenção do envelhecimento da pele e anexos cutâneos, pois são compostos que ajudam a proteger as células do corpo contra os danos causados pelos radicais livres, moléculas instáveis que podem causar estresse oxidativo, que está associado ao envelhecimento prematuro da pele e a uma variedade de problemas dermatológicos”, explica a nutróloga Dra. Marcella Garcez.

Os alimentos que contém vitamina C são:

  • Laranja;
  • Morango;
  • Kiwi;
  • Pimentão vermelho;
  • Brócolis;
  • Couve de Bruxelas;
  • Mamão.
A vitamina D é essencial para a saúde óssea, ajudando na absorção de cálcio e fortalecendo o sistema imunológico Imagem: New Africa | Shutterstock

4. Vitamina D

A vitamina D é crucial para a saúde óssea, pois auxilia na absorção de cálcio. Também desempenha um papel importante na função imunológica e na saúde muscular. “Nosso organismo sintetiza os precursores de vitamina D, mas precisa da exposição solar para desempenhar sua ativação, como um botão de liga e desliga”, explica Larissa Santana Silva, dermatologista e professora de Medicina da Unime. Os alimentos ricos em vitamina D são:

  • Peixes gordurosos (salmão, atum e cavala);
  • Óleo de fígado de bacalhau;
  • Gema de ovo;
  • Leite e suco de laranja fortificados;
  • Queijo.

5. Vitamina B12

A vitamina B12 é vital para a formação de glóbulos vermelhos, síntese de DNA e função neurológica adequada. “A quantidade necessária para manter bons níveis na corrente sanguínea pode variar de um indivíduo para outro, dependendo da capacidade de absorção de cada organismo (5 mcg a 20 mcg por dia). Mas claro que essa quantidade de manutenção é bem menor que a dose de correção da deficiência. A falta dessa vitamina pode levar a problemas sérios de saúde, e os sintomas podem se manifestar de maneira gradual”, esclarece Rodrigo Neves, médico pós-graduado em endocrinologia.

Os alimentos que contém esse tipo de vitamina são:

  • Carne;
  • Peixes;
  • Frutos do mar (ostras e mexilhões);
  • Leite e derivados;
  • Ovos;
  • Cereais fortificados.

6. Vitamina K

A vitamina K é necessária para a ativação de proteínas que regulam a coagulação, garantindo que o sangue coagule de forma adequada após uma lesão. Além disso, contribui para a saúde óssea, ajudando na fixação do cálcio nos ossos, o que é crucial para a prevenção de osteoporose e fraturas. Os alimentos fontes de vitamina K são:

  • Vegetais de folhas verdes (couve, espinafre e brócolis);
  • Couve de Bruxelas;
  • Couve-flor;
  • Peixe;
  • Fígado;
  • Carne;
  • Ovos.

7. Vitamina B9

A vitamina B9, também chamada de ácido fólico, é importante para a síntese e reparo do DNA, bem como para a divisão celular. Além disso, é fundamental durante a gravidez para o desenvolvimento adequado do feto.

Segundo a nutricionista Alessandra Feltre, a ingestão diária recomendada de folato para adultos é de 400 microgramas. No entanto, durante a gravidez, a necessidade aumenta, uma vez que também é essencial para o crescimento e desenvolvimento saudável do feto.

Os alimentos ricos em vitamina B9 são:

  • Folhas verdes escuras (espinafre e couve);
  • Leguminosas (feijão e lentilha);
  • Abacate;
  • Brócolis;
  • Beterraba;
  • Laranja;
  • Cereais e farinhas fortificados.





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

Dom Casmurro: 6 motivos para ler a obra de Machado de Assis

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:2 Minuto, 21 Segundo


Veja por que essa obra clássica da literatura brasileira continua fascinando gerações

“Dom Casmurro” é uma das grandes obras de Machado de Assis “Dom Casmurro” é uma das grandes obras de Machado de Assis Imagem: mark designers | Shutterstock

Publicado em 1899, “Dom Casmurro” é uma das obras mais importantes de Machado de Assis e um clássico da literatura brasileira. Isso porque a história do livro apresenta diversas questões da sociedade do final do século 19, sendo temáticas relevantes até hoje, como hipocrisia e moralidade, patriarcado e classes sociais.

A narrativa principal gira em torno da vida de Bento Santiago, conhecido como Bentinho, e seu relacionamento ciumento com Capitolina, chamada carinhosamente de Capitu. Abaixo, confira bons motivos para ler esta obra!

1. Patrimônio cultural

“Dom Casmurro” é um patrimônio cultural do Brasil, e seu estudo e compreensão são importantes para qualquer pessoa interessada na história literária e cultural do país. Além disso, é especialmente importante para os estudantes, pois o livro é cobrado com frequência em provas de vestibulares e no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

2. Narrativa intrigante

O enigma central do livro – se Capitu traiu ou não Bentinho – permanece sem resposta. Esse dilema mantém o leitor engajado e promove discussões sobre os personagens e suas motivações, tornando a leitura uma experiência ativa e envolvente.

3. Complexidade psicológica

A psicologia dos personagens, especialmente de Bentinho e Capitu, oferece um estudo profundo sobre as motivações inconscientes para as ações, as dinâmicas de poder e as consequências emocionais de decisões tomadas sob influência do ciúme e da desconfiança.

Os temas levantados em “Dom Casmurro” são atemporais Imagem: Alliance Images | Shutterstock

4. Relevância contemporânea

Apesar de ser ambientado no século 19, muitos temas e questões levantadas em “Dom Casmurro”, como influência do clero, classes sociais e posição da mulher na sociedade, são ainda relevantes atualmente, tornando a obra atemporal.

5. Estilo de linguagem

Machado de Assis é conhecido por seu estilo elegante, irônico e sofisticado de escrita. “Dom Casmurro” é um excelente exemplo de sua maestria na linguagem e no uso de técnicas narrativas avançadas, que continuam a influenciar escritores e leitores contemporâneos.

6. Múltiplos públicos

A descontração do narrador na história mostra que o livro foi escrito para todos os públicos. Combinando temas universais, narrativa intrigante e o estilo literário do autor, a obra resulta em uma experiência de leitura rica e acessível.





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

3 santos católicos que inspiram a festa junina

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:4 Minuto, 24 Segundo


Mais do que festejar, conhecer as tradições do evento cultural enriquece e torna a experiência mais significativa

Três santos são figuras centrais das festividades juninas Três santos são figuras centrais das festividades juninas Imagem: felipequeiroz | Shutterstock

A festa junina, uma das tradições mais queridas do Brasil, traz consigo música, danças, comidas típicas e, acima de tudo, muita fé. No coração dessa celebração, encontram-se três santos que, cada um à sua maneira, deixaram um legado espiritual profundo. As festividades, que iluminam as noites de junho com fogueiras e alegria, dedicam-se a Santo Antônio, São João e São Pedro, figuras que trouxeram bênçãos e milagres para o povo.

Esses santos, personagens históricos cujas vidas e ações influenciaram a cultura e a espiritualidade de muitos, têm suas histórias celebradas com fervor durante a festa junina. “As celebrações são oportunidades de viver a comunhão e de partilhar a vida, pilares fundamentais da fé cristã. E fazer isso com alegria, com muita alegria!”, explica o pastoralista do Colégio Marista Paranaense Jean Marcos Gregol.

Apreciar a festa é importante, mas entender a história por trás de cada evento cultural enriquece a experiência. Por isso, conheça as histórias das figuras que inspiram tantas tradições e rituais!

1. Santo Antônio: o santo casamenteiro

Santo Antônio é conhecido como o santo casamenteiro Imagem: Immaculate | Shutterstock

No dia 13 de junho, os olhares se voltam para Santo Antônio, conhecido popularmente como o “Santo Casamenteiro”. Nascido em Lisboa, Portugal, no século XII, Antônio de Pádua faleceu em 13 de junho de 1231, em Pádua, na Itália, e é celebrado por suas pregações e milagres até hoje. Sua fama de casamenteiro vem de lendas que o associam à ajuda para que mulheres encontrassem bons maridos.

Nas festas juninas, as simpatias para Santo Antônio são comuns. Quem nunca ouviu falar de colocar a imagem do santo de cabeça para baixo em um copo d’água ou enterrar sua estátua até que um pedido de casamento seja atendido? Ou encontrar a estátua do santo em um pedaço de bolo como sinal de alcançar a graça? Essas tradições refletem a fé e a esperança depositadas no santo, tornando-o um ícone indispensável das celebrações.

Para além da fama popular, o frade franciscano foi modelo exemplar de fé, de dedicação e cuidado aos mais pobres. Era reconhecido pela sua pregação eloquente, enraizada no evangelho e por sua simplicidade de vida. Os sermões de Santo Antônio são notáveis obras literárias, que encantavam as pessoas que vinham com ele se confessar. Tal fama fez com que fosse reconhecido como Santo, 11 meses após a sua morte e, em 1946, proclamado “Doutro da Igreja Universal”, com o título Doctor Evangelicus.

2. São João: o protetor das colheitas

São João Batista foi um profeta bíblico e figura central no cristianismo Imagem: Luis Fraga | Shutterstock

Dia 24 de junho é dedicado a São João Batista, um dos santos mais populares do cristianismo. Ele é conhecido como o “Protetor das Colheitas”, e suas celebrações são marcadas por fogueiras, que simbolizam a luz e a proteção divina. Segundo a tradição, Isabel, mãe de João Batista, acendeu uma fogueira para avisar Maria, mãe de Jesus, sobre o nascimento de João Batista.

As festas de São João são sinônimo de alegria e fartura. As quadrilhas, com suas danças animadas e roupas coloridas, enchem as praças e ruas de todo o Brasil. A tradição da fogueira, além de aquecer as noites frias de junho, é um momento de união e renovação espiritual, evocando a lembrança do batismo de Jesus nas águas do rio Jordão, realizado por João Batista.

Além disso, recorda-se com carinho de São João Batista, por ser o profeta que anuncia a Boa-Nova, sendo o precursor de Jesus Cristo. João preparou a chegada do Messias e, embora se tornasse conhecido e as pessoas o procurassem, ele se retirava do centro e nele colocava Jesus: “Ele deve crescer e eu diminuir” (Jo 3,30). João acreditava que em Jesus se realizava um novo tempo, marcado por justiça e verdade.

3. São Pedro: o guardião dos pescadores

Segundo a tradição, São Pedro possui as chaves do céu e é responsável por controlar o clima Imagem: aimpol buranet | Shutterstock

Encerrando as festividades juninas, no dia 29 de junho, temos São Pedro, conhecido como o “Guardião dos Pescadores”. Ele foi um dos apóstolos mais próximos de Jesus e é considerado o primeiro Papa da Igreja Católica. Segundo a tradição, São Pedro possui as chaves do céu e é responsável por controlar o clima, sendo especialmente venerado por pescadores e agricultores.

Nas festas em homenagem a ele, são comuns as procissões e as celebrações religiosas, que pedem boas colheitas e proteção para os pescadores. Além disso, as festas mantêm viva a tradição da fogueira, reforçando o laço comunitário e a fé.

Por Luiza Lafuente





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Popular