Connect with us

Vídeos

8 raças de cachorro que costumam ser teimosas 

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:3 Minuto, 22 Segundo


Veja aspectos que contribuem para essa característica na personalidade desses animais

Algumas raças de cachorro tendem a ser mais teimosas Algumas raças de cachorro tendem a ser mais teimosas Imagem: chaossart | Shutterstock)

Existem diversas raças de cachorro no mundo. Algumas delas, inclusive, se destacam particularmente por traços específicos de personalidade, como a teimosia. Essa característica pode tornar o treinamento um desafio, exigindo paciência e consistência dos tutores. No entanto, isso também é um reflexo da inteligência e independência desses cães, o que os torna companheiros fascinantes. 

A seguir, conheça 8 raças de cachorro que costumam ser teimosas! 

1. Beagle 

O cachorro da raça Beagle é curioso e tem forte instinto de caça Imagem: New Africa | Shutterstock

O beagle é um cachorro originário da Inglaterra. Ele tem tamanho médio, corpo robusto, orelhas longas e caídas, olhos grandes e expressivos. É uma raça curiosa e com um forte instinto de caça. A teimosia dele pode ser atribuída à sua natureza independente e ao forte olfato, que muitas vezes o leva a seguir cheiros e ignorar comandos. 

2. Buldogue inglês 

O buldogue inglês é tranquilo e um pouco teimoso Imagem: Willy Mobilo | Shutterstock

O buldogue inglês é outro cachorro originário da Inglaterra. Ele tem corpo pequeno e musculoso, focinho achatado, rugas no rosto, orelhas pequenas e caídas. É um animal tranquilo, corajoso e um pouco teimoso, principalmente para obedecer a comandos ou fazer exercícios. 

3. Dachshund 

A teimosia do cachorro da raça dachshund é resultado de sua determinação Imagem: Olexandr Andreiko | Shutterstock

O famoso salsicha é originário da Alemanha. Ele tem corpo comprido e pernas curtas, orelhas longas e caídas. Costuma ser um cachorro corajoso e enérgico. Sua teimosia, no entanto, é resultado da determinação em seguir seus próprios instintos de caça, frequentemente ignorando comandos. 

4. Chihuahua 

O chihuahua, apesar de pequeno, é corajoso e independente Imagem: Evgeniia Shikhaleev | Shutterstock

Originário do México, o chihuahua é um cachorro pequeno com orelhas grandes e eretas. Apesar do tamanho, é uma raça alerta e corajosa. A teimosia muitas vezes se manifesta como uma atitude desafiadora e independente. 

5. Shih tzu 

O shih tzu costuma ser amigável, mas relutante em obedecer a comandos Imagem: Eli S | Shutterstock

Originário do Tibete, o shih tzu é um cachorro pequeno com focinho curto, pelagem longa e densa. Orelhas caídas e olhos grandes e escuros. É uma raça que costuma ser amigável e afetuosa. A sua teimosia, no entanto, pode se manifestar na relutância em seguir comandos, especialmente se não tem um benefício imediato. 

6. Jack russell terrier 

O jack russell terrier é enérgico e tende a seguir os instintos Imagem: | Shutterstock

O jack russell terrier é um cachorro originário da Inglaterra. Ele é pequeno e musculoso. Tem a pelagem lisa ou áspera, predominantemente branca com marcas pretas ou marrons. É uma raça enérgica, inteligente e muito teimosa, resultado da sua independência e tendência a seguir seus próprios instintos de caça. 

7. Scottish terrier 

O cachorro da raça scottish terrier é corajoso e teimoso Imagem: Anna Tkach | Shutterstock

O scottish terrier é um cachorro originário da Escócia. Ele é pequeno, com corpo robusto, pernas curtas, pelagem dura e densa. É uma raça que tende a ser corajosa e teimosa, devido à sua determinação em fazer as coisas à sua maneira. 

8. Afghan hound

O afghan hound é um cachorro leal e independente Imagem: David Raihelgauz | Shutterstock

Originário do Afeganistão, o afghan hound é um cachorro grande com corpo elegante, pelagem longa e sedosa, focinho alongado. É um animal autoconfiante e leal ao tutor. A teimosia, no entanto, pode ser atribuída à sua natureza independente. 





Fonte: Edicase

Vídeos

6 benefícios da suplementação alimentar para a saúde da tireoide

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:3 Minuto, 46 Segundo


Nutricionista explica como melhorar a qualidade de vida dos pacientes como hipertireoidismo ou hipotireoidismo

A suplementação alimentar e uma dieta saudável contribuem para a saúde da tireoide A suplementação alimentar e uma dieta saudável contribuem para a saúde da tireoide Imagem: fizkes | Shutterstock)

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 750 milhões de pessoas em todo mundo têm alguma patologia na tireoide. Além disso, conforme o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que no Brasil haverá 16.660 novos casos de câncer de tireoide por ano entre 2023 e 2025, sendo as mulheres as mais afetadas. 

Consultas ao médico, aliadas aos hábitos saudáveis, como atividade física e alimentação, além do uso de suplementos, quando indicados por médicos, podem contribuir com a prevenção de problemas na tireoide, conforme explica Larissa Amorim, nutricionista da Always Fit, plataforma de e-commerce especializada em suplementos naturais.

“Ter a combinação equilibrada de suplementos adequados aliados a hábitos saudáveis é fundamental para quem precisa ter o controle da tireoide. Os nutrientes como, selênio, ômega 3, vitaminas do complexo B, dentre outros, conseguem ajudar na regulação da função tireoidiana. Além disso, é preciso haver um consumo de frutas, verduras e proteínas magras refogadas com óleo de qualidade”, explica a nutricionista.

Todavia, é importante lembrar que não se deve consumir suplementos alimentares sem a recomendação e o acompanhamento médio. “É de grande importância buscar a orientação e acompanhamento de um profissional da saúde para personalizar a suplementação de acordo com as necessidades individuais e estilo de vida, para não haver consumo em excesso que pode ser prejudicial”, completa.

Abaixo, a nutricionista lista 6 benefícios da suplementação alimentar para a saúde da tireoide

1. Melhora no metabolismo e sintomas

Pessoas que têm hipertireoidismo ou hipotireoidismo podem ter uma melhora na fadiga e cansaço com o consumo de suplementos aliados a hábitos saudáveis, além de conseguirem ter um maior controle do peso. Há suplementos como o ômega 3, picolinato de cromo, creatina, entre outros, que ajudam na aceleração do metabolismo, contribuindo para a redução de peso e para mais disposição no dia a dia. 

2. Regulação hormonal

Um dos maiores desafios quando falamos de tireoide é o funcionamento adequado da glândula, que impacta em todo organismo. Hoje, suplementos específicos como, óleo de semente de abóbora, vitamina B12, entre outros, podem ajudar a equilibrar os níveis hormonais. 

3. Complemento nutricional

Quando aliados com uma alimentação saudável, os nutrientes dos suplementos como magnésio, vitamina D, selênio e ferro atuam com um papel fundamental na manutenção da saúde da tireoide. Importante ressaltar que em alguns casos mais graves, o ferro precisa ser suplementado por via endovenosa.

“É preciso um cuidado especial para não haver excesso de suplementação, principalmente no consumo de iodo que já encontramos presente no sal. Além disso, há casos de anemia severa que necessita da suplementação endovenosa e devem ter um acompanhamento médico ainda mais de perto”, ressalta Larissa Amorim.

Uma alimentação balanceada auxilia no controle da tireoide Imagem: Art_Photo | Shutterstock

4. Consumo de frutas, proteínas e vegetais

Uma alimentação balanceada, com o consumo de frutas e vegetais, também é importante para o controle da tireoide, principalmente para problemas no intestino que não costumam funcionar bem em pessoas com hipertireoidismo ou hipotireoidismo.

“Em geral, boa parte dos pacientes têm o intestino constipado. Por isso, também é importante haver um consumo de frutas, proteínas magras, vegetais, melhorando o consumo de fibras com água e atividade física”, afirma a nutricionista.

5. Ajuda na imunidade

Por serem condições autoimunes, ou seja, o próprio corpo não produz hormônios suficientes para o equilíbrio da glândula, as pessoas com hipertireoidismo ou hipotireoidismo têm uma imunidade mais baixa. Ao utilizar a suplementação aliada ao estilo de vida saudável com acompanhamento médico, há menores chances para o desenvolvimento de doenças. 

6. Prática de atividade física

Por último e não menos importante, a prática de atividade física, além de ajudar na manutenção do peso, contribui para a melhora do metabolismo e melhora nos índices de colesterol, diabete, além dos hormônios da tireoide, conhecidos como T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina).

Por Kelly Spinola 





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

7 benefícios do azeite para a saúde e como usá-lo na alimentação

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:4 Minuto, 8 Segundo


Veja como adicioná-lo à dieta pode favorecer o funcionamento do corpo e auxiliar na prevenção de doenças

O uso do azeite pode trazer diversos benefícios para a saúde O uso do azeite pode trazer diversos benefícios para a saúde Imagem: Avocado_studio | Shutterstock

O azeite de oliva é um componente fundamental da dieta mediterrânea e um dos alimentos mais antigos e valorizados na história da humanidade. As primeiras evidências do cultivo de oliveiras datam cerca de 6.000 a.C., época em que o óleo das azeitonas começou a ser extraído para usos alimentares, medicinais e religiosos. Rico em ácidos graxos, ele oferece inúmeros benefícios para a saúde e o bem-estar geral. Veja a seguir!

1. Beneficia a saúde cardiovascular

O azeite é rico em ácidos graxos monoinsaturados, especialmente o ácido oleico, que ajuda a reduzir o colesterol “ruim” (LDL) e a aumentar o colesterol “bom” (HDL), promovendo a saúde vascular e auxiliando na prevenção de doenças cardiovasculares como a hipertensão.

“Uma alimentação de qualidade vai além do prazer culinário ou estética. É um fator que possui um impacto gigantesco na saudabilidade do corpo humano. Não à toa, a imensa maioria dos tratamentos que visam à redução do LDL (colesterol ruim) estão intrinsecamente conectados a uma agenda de refeições balanceadas”, destaca a médica Dra. Julia Machline Carrion, Head of Medical Affairs da epHealth.

2. Poder anti-inflamatório

Os compostos anti-inflamatórios presentes no azeite, como o oleocantal, têm efeitos semelhantes aos dos medicamentos anti-inflamatórios não esteroides. Além disso, é rico em ácidos graxos monoinsaturados, que contribuem para a redução da inflamação no corpo.

3. Ajuda a prevenir o diabetes tipo 2

O azeite de oliva contém ácido oleico e outros ácidos graxos que ajudam a melhorar a sensibilidade à insulina nas células. Isso permite uma absorção mais eficiente de açúcar pelo sangue, reduzindo os picos de glicose após as refeições. Esses benefícios contribuem para a redução dos níveis de açúcar e ajudam a prevenir o desenvolvimento do diabete tipo 2.

4. Propriedades antioxidantes 

O azeite é rico em vitamina E e polifenóis, antioxidantes que ajudam a combater os radicais livres no corpo, reduzindo a inflamação e protegendo as células contra danos. “As células do nosso corpo estão constantemente sujeitas a danos tóxicos pela formação de radicais livres, que são provenientes de reações que ocorrem na membrana das células, e são responsáveis pela ocorrência de diversas enfermidades e processos degenerativos do organismo humano”, explica o cardiologista Bruno Ganem.

As propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias do azeite preservam a saúde do cerébro Imagem: New Africa | Shutterstock

5. Auxilia a saúde cerebral

Graças às suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, o azeite ajuda a proteger o cérebro contra o estresse oxidativo e inflamações, preservando a saúde das células nervosas e promovendo um funcionamento cerebral ideal ao longo do tempo. Esses efeitos também podem ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento de doenças degenerativas, como o Alzheimer.

6. Melhora da digestão

O ácido oleico é reconhecido por suas propriedades emolientes, que auxiliam no revestimento e proteção do trato digestivo, contribuindo para a redução de inflamações e irritações, além de promover a absorção adequada de nutrientes.

7. Ajuda a saúde da pele

Além de suas propriedades antioxidantes, o azeite também contém vitaminas A e K, que ajudam a melhorar a elasticidade da pele e a promover a regeneração celular. Seu uso regular pode auxiliar na redução da aparência de rugas e linhas finas, deixando a pele mais suave e radiante. 

“Os antioxidantes na dieta podem desempenhar um papel importante na prevenção do envelhecimento da pele e anexos cutâneos, pois são compostos que ajudam a proteger as células do corpo contra os danos causados pelos radicais livres, moléculas instáveis que podem causar estresse oxidativo, que está associado ao envelhecimento prematuro da pele e a uma variedade de problemas dermatológicos”, explica a nutróloga Dra. Marcella Garcez.

Adicionando o azeite na dieta

É fácil incluir o azeite na dieta. Ele pode ser utilizado como base para temperar saladas, preparar molhos e vinagretes caseiros, ou finalizar pratos como legumes grelhados, carnes, peixes e sopas, realçando o sabor e adicionando nutrientes.

É possível substituir o óleo e a manteiga pelo azeite para fritar os ovos, refogar vegetais ou grelhar carnes. Também dá para combiná-lo com ervas e especiarias para fazer um molho saboroso para pães, ou usá-lo como base para marinadas de carnes, frangos e peixes. Além de adicionar um sabor delicioso às refeições, também trará benefícios para a saúde e o bem-estar geral. 





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Vídeos

8 dicas simples para uma sala de estar aconchegante

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:2 Minuto, 9 Segundo


Arquitetas explicam como alguns toques de decoração deixam o ambiente mais confortável

A decoração da sala deve ser aconchegante A decoração da sala deve ser aconchegante Imagem: BM_27 | Shutterstock)

A sala é tida como o coração da casa. É o ambiente em que as pessoas se reúnem após um dia árduo de trabalho, bem como o espaço em que recebem familiares e amigos para celebrar. Por isso, um local tão importante merece uma atenção especial na hora da decoração, que deve ser, acima de tudo, aconchegante para todos da casa. Dessa maneira, todos os elementos devem ser escolhidos de forma cuidadosa.

Pensando nisso, as arquitetas Caterina Caselli e Fernanda Prado, do Duno Arquitetura, listam dicas valiosas para tornar a sala de estar mais aconchegante. Veja abaixo! 

1. Adicione tapetes e cortinas

Não dá para pensar em ter uma casa aconchegante sem tapetes e cortinas. Esses itens exalam conforto e aquela sensação de estar sendo abraçado pelo ambiente. Eles transformam instantaneamente qualquer espaço. Por isso, escolha tapetes felpudos para climas frios, e naturais para regiões quentes.

2. Decore proporcionalmente

Móveis e elementos grandes, ou pequenos demais, geram sensações desconfortáveis. Por isso, tire as medidas do ambiente antes de planejá-lo e encontre o equilíbrio certo do tamanho de diferentes itens.

3. Cuide da iluminação

Use a iluminação para criar o clima desejado. Luminárias, abajures e velas podem fazer toda a diferença.

4. Aposte em cores e texturas

Escolha cores e texturas que promovam o relaxamento. Para isso, tons neutros e materiais naturais são ideais.

5. Opte por móveis funcionais

Opte por móveis que sejam funcionais e práticos. Isso porque eles ajudam a manter o ambiente organizado e aconchegante.

As plantas ajudam a dar mais vida ao ambiente Imagem: Followtheflow | Shutterstock

6. Coloque mais plantas

Adicione plantas para um toque de natureza e frescor. Além disso, elas também purificam o ar e trazem vida ao espaço.

7. Adicione quadros e fotografias

Personalize sua sala com quadros e fotografias que reflitam sua personalidade e estilo.

8. Mantas e pufes

Mantas jogadas sobre sofás e pufes adicionam conforto e convidam ao relaxamento.





Fonte: Edicase

Continue Lendo

Popular