Connect with us

Brasil

Fiocruz diz que cerca de 3.000 instalações de saúde no Rio Grande do Sul foram afetadas pelas enchentes

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:1 Minuto, 54 Segundo


Levantamento engloba hospitais, postos de saúde, farmácias e clínicas particulares; pesquisador da entidade propõe revisão nos critérios de localização

EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDOalagamento na Rua José de Alencar em frente ao Hospital Mãe de Deus, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre
Alagamento na Rua José de Alencar, em frente ao Hospital Mãe de Deus, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre

Um levantamento recente realizado pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) trouxe à tona uma realidade preocupante sobre o impacto das calamidades nas instalações de saúde do Rio Grande do Sul. Segundo o estudo, aproximadamente 3.000 estabelecimentos de saúde, englobando hospitais, postos de saúde, farmácias e clínicas particulares, sofreram com as consequências das chuvas e enchentes no Estado. Diego Xavier, pesquisador do Observatório de Clima e Saúde da Fiocruz, destaca a urgência de uma resposta mais eficaz e uma preparação adequada para enfrentar essas adversidades, sugerindo até mesmo uma revisão nos critérios de localização dessas instalações para fortalecer a resiliência dos sistemas de saúde.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

O impacto dessas calamidades afetou diretamente cerca de 2,5 milhões de pessoas. Entre os mais atingidos estão os moradores de 240 favelas, 40 comunidades quilombolas e cinco aldeias indígenas, que vivem em áreas de alto risco, como zonas propensas a inundações. Xavier enfatiza a necessidade de uma abordagem integrada para melhorar os sistemas de saúde, que leve em consideração a segurança habitacional e o atendimento de saúde subsequente, dada a complexidade e a interconexão das questões envolvidas. A Fiocruz tomou a iniciativa de instalar uma sala de situação em apoio ao centro de operações de emergência do Ministério da Saúde no Estado. Esse esforço tem como objetivo auxiliar na tomada de decisões relacionadas à reconstrução da infraestrutura de saúde, tanto para o setor público quanto para o privado.





Fonte: Jovem Pan

Brasil

Corpo do cachorro Joca será cremado em São Paulo neste sábado

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:1 Minuto, 42 Segundo


Cão morreu em abril após ser enviado pela companhia aérea Gol para o destino errado; tutor revelou em suas redes sociais que caixa que transportou pet estava solta dentro do avião

Reprodução/instagram/@jocagoldenrCachorro, chamado Joca, morre após ser enviado para destino errado
O golden retriever estava no Hospital Veterinário da Universidade de São Paulo para fazer exame de necrópsia desde o dia 13 de maio

O cachorro Joca, morto após ser enviado para o destino errado em um voo da companhia aérea Gol, no dia 22 de abril, será cremado em uma cerimônia em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo, neste sábado (15). O cachorro, que deveria ter sido transportado de São Paulo para Sinop, no Mato Grosso, faleceu após um erro de logística da companhia aérea Gol, sendo enviado para Fortaleza. Joca ficou exposto ao sol na pista do aeroporto dentro de uma caixa protetora. O golden retriever estava no Hospital Veterinário da Universidade de São Paulo para fazer exame de necrópsia desde o dia 13 de maio e corpo foi liberado nesta quarta-feira (12). Anteriormente, Joca estava em uma clínica particular para realizar exames solicitados pela família. O tutor, João Fantazzini, profundamente afetado pela perda, tem encontrado nas redes sociais um espaço para expressar sua dor e homenagear seu companheiro de quatro patas. Em meio ao luto, ele revelou que o cachorro foi deixado solto dentro do avião no momento do voo, cobrando um posicionamento da Gol.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Publicado por Luisa Cardoso





Fonte: Jovem Pan

Continue Lendo

Brasil

Número de refugiados no Brasil cresce 117% em 2023

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:2 Minuto, 0 Segundo


Principais países de origem das solicitações são da Venezuela, Cuba, Angola, Vietnã e Colômbia, com venezuelanos e afegãos sendo as nacionalidades mais reconhecidas pelo país como refugiadas

Paulo Pinto/Agência BrasilRefugiados Afegãos em Guarulhos
Desde 2011 até 2023, o Brasil recebeu um total de 46.695 solicitações de refúgio

O Brasil aumentou o número de aprovações de pedidos e o número de refugiados no país em 117% entre 2022 e 2023. Os dados são do Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra), administrado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Este relatório é elaborado anualmente pelo Comitê Nacional para Refugiados em colaboração com pesquisadores do observatório. Desde 2011 até 2023, o Brasil recebeu um total de 46.695 solicitações de refúgio, resultando em 143.033 pessoas sendo oficialmente reconhecidas como refugiadas até o final do ano passado. A maior parte dessas solicitações foi registrada nas unidades federativas da região Norte, com destaque para o estado de Roraima, que se tornou o principal ponto de entrada para esses pedidos.  Somente em 2023, houve um acréscimo de 8.273 solicitações em relação a 2022, o que equivale a um aumento de 16,4%. Os principais países de origem desses solicitantes foram Venezuela, Cuba, Angola, Vietnã e Colômbia, com venezuelanos e afegãos sendo as nacionalidades mais reconhecidas pelo Brasil como refugiadas.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

No Brasil, esses indivíduos encontram proteção legal e são acolhidos sob essas circunstâncias. Recentemente, uma crise humanitária chamou a atenção no Aeroporto Internacional de Guarulhos, onde cerca de 400 estrangeiros, a maioria deles indianos, enfrentaram dificuldades para registrar seus pedidos de refúgio. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o problema foi causado por falhas técnicas na plataforma digital SISCONARE, sistema de tramitação de processos de refúgio no país, que ficou fora do ar durante o final de semana.

Publicado por Luisa Cardoso





Fonte: Jovem Pan

Continue Lendo

Brasil

Parque do Caracol, em Canela (RS), reabre nesta sexta-feira após fechamento por causa das chuvas

Prublicadas

sobre

Tempo de Leitura:2 Minuto, 13 Segundo


Os ingressos incluem o Bilhete Gaúcho, que custará R$ 37 para nascidos ou residentes no Rio Grande do Sul; moradores locais e de Gramado terão isenção

Divulgação/Parque do CaracolParque do Caracol, em Canela, no Rio Grande do Sul
Parque do Caracol oferece diversas atrações, incluindo cachoeiras, trilhas, mirantes, a famosa Cascata do Caracol

O Parque do Caracol, em Canela, um dos cartões-postais da Serra Gaúcha, reabre ao público nesta sexta-feira (14) após ter sido fechado devido às chuvas no Rio Grande do Sul. Para marcar a reabertura, moradores do Estado terão descontos especiais. O parque funcionará de quinta a segunda-feira, das 9h às 17h, permanecendo fechado às terças e quartas. Os ingressos incluem o Bilhete Gaúcho, que custará R$ 37 para nascidos ou residentes no Rio Grande do Sul. Para obter este desconto, é necessário comprovar o local de nascimento com documento oficial com foto ou a residência com comprovante no próprio nome. O bilhete pode ser adquirido no site do Parque do Caracol.

Os moradores de Gramado terão entrada gratuita e estacionamento por R$ 10, assim como os moradores de Canela, que já possuíam essa isenção. O ingresso para adultos custa R$ 75 na bilheteria ou R$ 65 se comprado antecipadamente no site. A meia-entrada, no valor de R$ 37, é válida para nascidos ou residentes no Rio Grande do Sul, pessoas acima de 60 anos, crianças de 6 a 11 anos, estudantes com carteira estudantil e pessoas com deficiência (PcD) e acompanhante. Há também isenções para cadeirantes, guias de turismo cadastrados na Cadastur e crianças até 5 anos.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

O Parque do Caracol oferece diversas atrações, incluindo cachoeiras, trilhas, mirantes, a famosa Cascata do Caracol (com 131 metros de altura), restaurante, lojas, quadras esportivas, churrasqueiras, playgrounds e atrações pagas à parte, como o Observatório Panorâmico com visão 360º e o passeio de trenzinho na Estação Sonho Vivo. O parque está localizado na Rodovia RS 466, km 0, s/n – Caracol, Canela (RS), 95680-000. Para mais informações, visite o site ou siga o parque nas redes sociais: Instagram e Facebook.

Publicado por Felipe Cerqueira





Fonte: Jovem Pan

Continue Lendo

Popular